Arquivo de junho de 2009

“Mãe, olha lá uma baranga”

segunda-feira, 29 de junho de 2009

 

Sábio é o João, bigodudo lá de Lisboa que, quando vê uma moça sem estilo, manda essa frase para a mãe dele. Esse menino é uma promessa! Ô geração abençoada!

blogpiada

Enviado pelo Alê Lima

Para quem curte assuntos mórbidos, olhe o que saiu no Terra sobre Michael, citando o The Sun:

“Michael, (…) não tinha comido nada e só tinha comprimidos no estômago, aparentemente ingeridos antes da injeção de analgésicos que teria causado a parada cardíaca que matou o cantor.
Como resultado dos esforços para reanimá-lo, o cantor, 50 anos, apresentava várias costelas fraturadas e quatro marcas de injeções em torno do coração, destinadas a injetar adrenalina a esse órgão. Além disso, Michael tinha ficado praticamente careca e usava peruca, indica o jornal britânico.
Os legistas também encontraram hematomas nos joelhos e tíbias do cantor, assim como nas costas, que poderiam ser as sequelas de uma recente queda. O corpo do “rei do pop” também estava cheio de cicatrizes cirúrgicas provocadas por pelo menos 13 operações estéticas. “A família e os fãs de Michael ficarão horrorizados quando se derem conta do péssimo estado no qual se encontrava”, declarou ao jornal uma fonte próxima à estrela.” (Terra.com.br)

Gente, era mesmo um espantalho. E, agora que morreu, o assunto é grana… Quanto devia, quanto tinha, quem vai levar as crianças (que não são filhos biológicos)… Cruzes. É um linchamento público. Menos, menos.

E o mundo anda mesmo pirado. Madonna comprou (0000ps! adotou) uma menininha. Britney agora é chatâin (castanha). Berlusconni nunca pagou (pouco) por uma mulher. O Brasil bateu os Estados Unidos de virada e comemorou (um vexame menor do que se anunciava?). Confirmada uma morte por gripe suína no Brasil (de um rapaz de Passo Fundo, RS). A frota de ônibus de SP diminuiu (para quê ônibus em SP?). O presidente de Honduras foi deposto por militares (“De novo, de novo”, diria Babe). Metade do Congresso quer que Sarney continue no cargo (afinal, AliBaBá tem que comandar o trio elétrico)…

Realmente, segundas-feiras não me fazem bem. Eu preciso de um remédio para me fazer pular esse dia.

Porque eu acordo atrasada para ir para a ginástica e constato que minha barriga de chopp só aumenta. Faço duas horas de ginástica, corro 7km – só para compensar o fim de semana. No vestiário da academia, vejo aberrações (como a professora anã de ballet infantil que usa uma calcinha fio dental com a palavra escrita em cristal: “sexy”. Sexy quer dizer que é bacana ter celulite e não depilar?), venho para o trabalho e é só pepino. É o ego de um, o pagamento de outro, a carta pedindo satisfação por ter perdido a concorrência, enfim… Vamos todos concentrar: oooooooohmmmmmmmmmmmmmmmmm!

Amanhã é terça-feira. Terçaaaaaaaaaaaa! Faltarão 3 dias para a seeeeeexta.

É por isso que eu bebo.

Amarrem os cavalos!

domingo, 28 de junho de 2009

 Há tempos que estou para escrever sobre esse assunto, mas, depois de um sequestro, a morte de Farrah e a morte de Michael, minha elucubração ficou para trás na lista de posts…
O assunto é a moda em São Paulo. Aqui é assim: a onda é bolsa branca. E todo mundo sai de bolsa branca. O iPhone com capinha rígida – do camelô ao banqueiro, só dá iPhone de capinha dura. Cabelão é uma moda que não passa. Todo mundo brigou com a tesoura: a mulherada entrou para a igreja evangélica. No salão, elas até colocam apliques para aumentar a cabeleira. E pode ser no escovão ou com algumas ondinhas bem fake, para mostrar que o cabelo é liso originalmente… Eu tive cabelo curtésimo nos idos de 1998 a 2001. Depois deixei a juba crescer.Mas me libertei da minha vida vulgar. E prometo cortar mais e mais.
Acho que, na moda no Brasil, paramos na adolescência. Moda bacana é uma coisa TODO mundo igual. O lance é usar as mesas roupas, saca? O diferente está por fora.
Agora a onda é ser cavaleira sem cavalo.
Andando pela Oscar Freire, senti-me no jóquei (mais fino é Jockey in English!). Todas as mulheres tiraram o jeans skinny do armário – lembrando que somos baixotas, pernocudas e bundudas, portanto nosso skinny é mais faaaaattty que o das gringas – e, para compor, adotaram as botas de salto baixo ou alto e saíram por aí. Eu já até sinto cheiro de alfafa. Ao atravessar a rua, olho para os dois lados. Vai que tem algum cavalo fugido?
O vendedor de milho nunca vendeu tanto. É um para a égua e outro para a cavalgadura. Você pode escolher quem é quem.
Pois bem, a moda do jeans e bota de cano alto voltou com tudo. Seja para a anã paraguaia que pesa 80kg ou para a saracura que pesa 40kg, a mulherada só usa jeans e bota. Isso mesmo se a temperatura estiver beirando os 40 graus. Haja chulé no pé e suadeira na batatinha.
Eu realmente não entendo.
Comprei minhas botas Hunter no ano passado. Era uma coisa relacionada com infância: bota sete léguas, borrachão tosco, chuva, lama, Escócia.
Mas não saio por aí paracendo um capataz de fazenda. Minha Hunter espera elegante pelo dia da chuva – como ontem. E não vai com jeans! Não adianta colocar a bolsa Gucci ou os óculos escuros, moça. Você com essa bota e calça jeans fica parecendo a cavaleira do apocalipse. Engraçado e quando aparece o agroboy acelerando a Ferrari na Oscar Freire. É passar na vala e a caranga arrebentar o protetor de carter.

Moça, eu edito Vogue,  mas não pitaco na moda – que isso é assunto para Govanni Frasson que entende do riscado. Mas vou dar meu conselho tipo Martha Stewart: se quiser acertar no look, é só ficar de olho na Caras, na Quem. É simples: se Victória Beckham usa, saia correndo. Pé de pato, mangalô, três vezes!

A mais bela das panteras

sexta-feira, 26 de junho de 2009

farrahfawcettposter

Que Michael Jackson que nada. Farrah Fawcet, sentirei sua falta. A moça bonita que correu atrás. E lutou até o fim.
Michael pirou há tempos. Era um espantalho…

Detalhe: essa foto foi feita para um catálogo nos anos 70. Vendeu, na época, 7 milhões de cópias…

Michael e Farrah não moram mais aqui

quinta-feira, 25 de junho de 2009

poster
Nenhuma saudade da adrenalina de uma redação latina dando notícias gringas.
Morreu ou não morreu? Sofreu ataque cardíaco, está em coma, morreu… Dizem…

O fato é que eu ainda estava de luto por Farrah quando vem a notícia de Michael.
Triste a vida do rei do pop. Cara esquisito.

E minha geração inteira foi influenciada por Thriller. Foi meu primeiro vinil. Ganhei da Tia Jaque (a mais modernete) no meu aniversário de 10 anos.
Tenho o disco até hoje. Com este poster horizontal de Michael segurando um filhote de tigre. Bizarro.

O mundo em luto pelo rei do pop e eu pensando: justo agora que estou estudando para a minha prova de francês e não consigo decorar os verbos irregulares.

E Farah, justo agora que repiquei meu cabelo todo para parecer com o seu? Agora não!

Mas o fato é que uma viveu 62 anos – e aproveitou.
O outro, passou do ponto ao chegar aos 50. Virou um menino grande, um bicho esquisito, todo mal resolvido.
Os “filhos” dele vão precisar de anos de terapia para sobreviverem ao “pai”. Mas agora estão livres.
E a galera que pagou uma baba para o show em Londres agora pode leiloar a entrada no e-bay.

Vou estudar francês porque Michael eu escuto em casa.

Alice, minha cachorra, o livro, a imagem

quarta-feira, 24 de junho de 2009
Foto de Divulgação

Foto de Divulgação

Alice é uma menina levada que “nasceu” em 1862. Entrou em uma toca atrás de um coelho falante e caiu em um mundo fantástico. Muitos enigmas contidos no livreo de Lewis Caroll são quase que imperceptíveis para os leitores de hoje, pois continham referências da época, piadas e trocadilhos que só fazem sentido na língua inglesa.

Minha cachorra se chama Alice. Encontrada por uma ONG que recolhe bichos das ruas, foi colocada para adoção num supermercado e levada para um apartamento na Vila Madalena. Hoje come comida orgânica, passeia todos os dias, toma banho uma vez por semana e já conhece Rio, Belo Horizonte, Salvador e Campinho – um paraíso tropical.  Adora lagosta e camarão. Mas não dispensa um resto de comida encontrado no chão. Risos.

Alice é mítica. Win Wenders já a retratou em um filme incrível. Alice foi o nome que deram para minha sogra quando no Brasil chegou, vinda do Japão. O nome dela é Yuki, mas Alice seria mais fácil para ela ser “recebida” pelos paulistas. As histórias de Caroll  foram inspiração para a música  I AM THE WALRUS, dos Beatles. Alice no País das Maravilhas é uma das obras escritas da literatura inglesa que tiveram mais adaptações na história do cinema, TV e teatro.

Carol, se vivo estivesse, e se morasse num país onde a lei é respeitada, com certeza estaria preso ou na capa de uma revista tipo imprensa marrom. Ele gostava de desenhar e fotografar meninas nuas, tudo com a permissão das mães. “Se eu tivesse a criança mais linda do mundo para desenhar e fotografar”, escreveu, “e descobrisse nela um ligeiro acanhamento (por mais ligeiro e facilmente superável que fosse) de ser retratada nua, eu sentia ser um dever solene para com Deus abandonar por completo a solicitação”. Por temor que estas imagens criassem embaraços para as meninas mais tarde, pediu que, após a sua morte, fossem destruídas ou devolvidas às crianças. Quatro ou cinco fotos ainda sobrevivem.

E no estranho mundo de Tim Burton, Alice ganha novas cores. Mais sinistras – embora berrantes.

Fotos de Divulgação

Fotos de Divulgação

Todo esse posto para repetir uma frase que, para mim, faz todo sentido:

“Comece pelo começo, siga até chegar ao fim e, então, pare”. Lewis Carroll (Alice no País das Maravilhas)

Quantos picaretas?

terça-feira, 23 de junho de 2009

Vocês se lembram do escândalo dos vereadores de SP e da roubalheira nas subprefeituras?
Lembram da Máfia dos Fiscais?
Na época, eu morava com uma amiga que fazia arquitetura. A casa era decorada por milhares de lápis, pastéis, réguas… Era um barato.
Com um pastel, Bianca escreveu no vidro traseiro do Uno Mille: “Eu tenho vergonha dos vereadores de SP”.
E virou celebridade.
Por onde passava, os motoristas buzinavam – apoiando a opinião. Muita gente aplaudia…

O escândalo dos vereadores de SP não terminou em pizza. Vicente Viscome, por exemplo, foi preso em 1999 e cumpriu quatro anos e meio de sua pena. Em 2005, conseguiu indulto condicional, para permanecer em liberdade. Antes, estava em liberdade condicional desde 2003, cumprindo pena em regime semi-aberto. Em 2008, concorreu a uma das cadeiras na Câmara Municipal paulista.O ex-vereador do PT do B não conseguiu se reeleger. Na classificação geral, ficou na posição de número 1.074 (lista vai até 1.077).

Inspirada nos paulistas e em minha grande amiga Bianca, ando com vontade de comprar uma caixa de pastéis e escrever no meu carro: EU TENHO VERGONHA DO SENADO BRASILEIRO

Quer saber quem fez a farra com o meu e o seu dinheiro?

Senadores beneficiados por atos secretos

Aldemir Santana (DEM-DF)
Antonio Carlos Júnior (DEM-BA)
Augusto Botelho (PT-RR)
Cristovam Buarque (PDT-DF)
Delcídio Amaral (PT-MS)
Demóstenes Torres (DEM-GO)
Edison Lobão (PMDB-MA)
Efraim Moraes (DEM-PB)
Epitácio Cafeteira (PTB-MA)
Fernando Collor (PTB-AL)
Geraldo Mesquita (PMDB-AC)
Gilvam Borges (PMDB-AP)
Hélio Costa (PMDB-MG) licenciado (ministro)
João Tenório (PSDB-AL)
José Sarney (PMDB-AP)
Lobão Filho (PMDB-MA)
Lúcia Vania (PSDB-GO)
Magno Malta (PR-ES)
Marcelo Crivella (PRB-RJ)
Maria do Carmo (DEM-SE)
Papaléo Paes (PSDB-AP)
Pedro Simon (PMDB-RS)
Renan Calheiros (PMDB-AL)
Roseana Sarney (PMDB-MA) renunciou para assumir o governo do MA
Sérgio Zambiasi (PTB-RS)
Serys Slhessarenko (PT-MT)
Valdir Raupp (PMDB-RO)licenciado (ministro)
Wellington Salgado (PMDB-MG)

Senadores que assinaram atos secretos quando integravam a Mesa Diretora da Casa

Antonio C. Valadares (PSB-SE)
César Borges (PR-BA)
Eduardo Suplicy (PT-SP)
Garibaldi Alves (PMDB-RN)
Heráclito Fortes (DEM-PI)
Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR)
Paulo Paim (PT-RS)
Romeu Tuma (PTB-SP)
Tião Viana (PT-AC)

Para nada acabar em pizza, vai uma foto do lounge da Vogue. Eu e meu amigo Fred perdendo a conta dos cosmpolitans by Cointreau…

drinks3

Que twitter que nada…

segunda-feira, 22 de junho de 2009

dsc_0180 Que bom voltar à rotina. Acordar cedo, ginástica, trabalho. Consegui sincronizar o telefone novo – não perdi nenhum contato.

Ao lado, uma foto tirada na aldeia hippie onde Janes Joplin passou uma temporada… Arembepe – há dez anos eu não passava por lá. Se você acha que twitter é o assunto do momento, está errado. O assunto do momento é liderança. (!)

E mais embaixo uma das dezenas de iguanas do hotel na praia onde Vincícius morou: Itapuã. Eu simplesmente viajei nelas. Calmas, mansas. Um bicho meio pré-histórico, bonito, estranho. No detalhe, a havaina que eu abandonei quando a iguana veio para cima dos meus dedinhos do pé… Na boa, ter o pé mordido por uma iguana na Bahia iria ser o maior mico. Dá mais status ser levada para passear por um bando de malacos que quer seu cartão de crédito…

dsc_0173

Finde e festa

domingo, 21 de junho de 2009

e71grysteelstronusFinalmente meu iPhone se mandou.
Ô telefone ruim.
Ele é ótimo para tudo, menos como telefone.
E, vamos combinar, telefone tem que ser bom como telefone.

Ontem comprei um Nokia.
Pensei em comprar outro blackberry, mas os preços absurdos (R$3 mil reais!) me assustaram.
E olha que meu Nokia não foi nada barato.
O legal é que ele tem um plano de 6 meses de GPS. O máximo!

As primeiras 24h se mostraram incríveis com o novo telefone…

Fomos arrastados pelo Fred para o SPFW (Fashion Freak para os íntimos) e adoramos.
No lounge da Vogue – disparado o mais animado do evento – acompanhamos o som do No e seus amigos DJs (Sexy4).

O lounge mais freak, mais brega, menos bem frequentado foi o do Glamurama. UÓ total. Até o da Marie Claire tava melhor. Para vocês terem idéia, no lounge da Joyce Pascowitch a única famosa era Mariana Weickert. Mariana quem? Nunca ouvi falar…

No da Vogue, o decór de Fabrizio Rollo estava simplesmente ótimo. Atmosfera bistrô sexy… Intimista, claro-escuro.
A cointreau patrocinava as bebidinhas e bebemos muitos cosmopolitan num copo fashion rosa em forma de coqueteleira. Tomei 3 e fiquei super lelé…
As comidinhas e as atendentes também eram de primeira.

O melhor foi o show burlesco com uma moça totalmente cover de Dita von Teese. O máximo!

Outro destaque foi o lounge da WGSN. Uma graça! Adorable!

Enfim, vamos aproveitar o domingo ensolarado longe do computador…
Fui!
wgsn1

Elucubrações

domingo, 21 de junho de 2009

photo-196
Tá certo. Os caras levaram dois celulares, sacaram dois mil reais, levaram uma bolsa linda – e nada prática – da Elisa Atheniense. As chaves do carro. O documento do carro.
Eles sabem onde eu moro e até olharam meu extrato.
Na negociação, fizeram até seguro anti-sequestro relâmpago no Unibanco… Fala sério – depois do saque. Ficou de lambuja, para me defender do próximo bandido.

Fiquei sabendo que é o 3 sequestro na minha rua. O vigésimo na Vila Madalena só esse mês.

E eu fiquei tão calma, tão sem medo de nada.

Ontem foi um dia de resolver burocracias.
Dia chato.
Eu não me arrumei. Nem banho tomei.
Deixei o carro na concessionária.
Tentei comprar um celular, não aceitaram meu cheque.
Fui aos bancos, resolver tudo ao mesmo tempo. Sacar um saco de dinheiro para os gastos dos próximos dias até que cheguem meus cartões.
Parei na PAO para comer. Não paguei a conta – eles não aceitam cheque. Vou ter ir lá hoje pagar.
Botei gasolina no carro. Não aceitaram meu cheque.
Pedi para o cara do Zona Azul me adiantar o boleto e pedi dinheiro emprestado.
Um motoboy levou meu BO para o despachante descolar novo documento do carro.
Detalhe: nem o Detran, nem o Poupa-Tempo aceitam cheque.
O despachante aceita.
E a fina ironia: a chave do meu carro é mais cara que a franquia do seguro (R$1400 reais a chave, 470 a codificação). E foram os caras que me assaltaram…
Dinheiro, dinheiro, dinheiro.

Eu tentei comprar um celular de R$1200 reais. Mas a Nokia Flagship Store não aceita cheque.
Um chip da Tim de 5 pratas. Os caras não aceitam cheque.
Um picolé nem pensar.

E aí me senti como o ladrão.
Eu tenho potencial, eu sou bacana.
Eu posso ser melhor que isso.
Mas ninguém aceita cheque.

E entendi tudo.
Eu não fiquei com medo.
Eu fiquei com pena dos caras.
Eu sou uma incluída. Os caras não.

No francês, prova.
Ao contar minha história (me deixaram a 3 quarteirões da Aliança Francesa e me senti na obrigação de avisar), meus colegas me condenaram por dizer que tive pena dos caras.
Sindrome de Estocolmo, pensaram.

Eu já sabia da onda de sequestros na Vila.
Eu pensei em fazer algo.
Nunca fiz.

Os caras despertaram algo em mim.
Deixar a vontade de fazer coisas.
Fazer coisas.

O relacionamento morno.
A acomodação com o trabalho.
O não ser política como cidadã.

Estou cheia de idéias.
Não fui ao salão.
As unhas todas quebradas e manchadas do esmalte vermelho.
Descabelada.
Suja.
Com a mesma roupa de ontem.

Num cyber café porque minha internet não funciona.
Mas cheia de energia.
E sem grana.

A fim de fazer tudo ao mesmo tempo.
Agora.

Tô viva

sábado, 20 de junho de 2009

Minha bateria esta acabando.
Internet de casa nao funciona desde o sequestro.

Mas 3 observações importantes:
– ninguém aceita cheque na cidade de SP
– não ter celular é tão bom
– dinheiro realmente não é importante.

(…)