Arquivo de fevereiro de 2012

Que rei sou eu?

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

mutatis

Fui convidada para participar de um blog fechado, coisa tipo sociedade secreta.
Na largada, um texto: “quem é você”.
Sem limite de conteúdo, tamanho ou forma.
Depois de um dia difícil, fica impossível ser engraçadinha, brincar de poetinha, ser leniente comigo mesma.
Quem sou eu?
Eu não sou uma pessoa solta.
Sou alguém que veio das montanhas.
Que foi obrigada – com prazer e desde cedo – a ter opinião.
Que tomou várias e tomará outras mais justamente por conta desse nariz arrebitado.
Responsável, irresponsável, doida, cheia de graças.
Quase nasci Josefina.
Acabei num palíndromo: Ana.
O que faz todo sentido: eu vou quente, volto fervendo.
Vou calma, volto mansinha.
Aprendendo errando muito.
E erro com muita convicção.
Porque acredito.
Vou fundo.
Sou amiga daquelas que oferecem a cama e deitam, confortáveis, no chão.
Sou inimiga do tipo que faz muita yoga e meditação para não pedir o fígado de alguém no almoço.
Não me chame para a briga. Meu casaco de general é Lanvin.
No fundo, sou redondinha, mas acho o máximo ser reta.
Sou honesta e respeito os que falham em todos os quesitos.
Deixei de exigir dos outros que vissem o mundo com as minhas lentes.
Não sou perfeccionista.
Sou organizada – direta.
E não saí ao primo Pessoa: minha alma é pequena.
Guarda poucas e boas.

Simples assim. Você acredita?

Samba do doido sem razão

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Deixando a negritudepara trás

Acordei de bom humor, saí pra sentir o sol
Num impulso feminino
Gastei todos os meus cobres
Troquei a peruca negra por uma nem loura nem castanha

Animada e sem vintém
Caí de boca na calçada
Ah, a realidade!
Menino com febre
Zelador folgado
Vizinho nervoso

Explico:
O zelador inventou de guardar o carro na garagem
Não pode, não pode!
E o velhinho do vizinho, chutou porta
Queria dinheiro indevido
Tentou me convencer no grito

Síndica às avessas
Sou daquelas caretas
Preto no branco e não tem discussão
O problema é que Tim Maia já não se faz como antigamente
Hoje em dia, chutou porta, ou é doido ou é ladrão…