Arquivo de julho de 2012

Vidro azul

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Equanto o mundo aspira futebol, estou aqui com meu vidrinho azul.
Lembrança de uma Dubai mais fria que a morte.
Ora misturo com gelo e tudo fica branco.
Ora vai puro mesmo.
Fico circulando pelos mesmos sites.
Vejo meus livros – limpos, imaculados e intocados.
Tudo tão igual e minhas horas cada vez mais curtas.
Dizem que, quando você vai virar outra coisa, é assim mesmo.

Cabeceira

Geladas X fria

terça-feira, 3 de julho de 2012

E saímos rindo de todas as histórias.
A semana pesada, o fardo da vida…
Tudo resumido a uma piada de salão.

De criaturas caricatas que nos apareceram como que num casting de primeira linha: uma após a outra e todas completamente absurdas.

Das mensagens de texto praguejando contra os ricos (todos, obviamente, desonestos), do pão tirado da boca das crianças (pobres, é claro) e de Deus – sempre ele – que há de te adoecer, pecador
Da rodada de baiana que acabou sendo um 360o.

Hoje, tomando suco de melancia, pensamos em ganhar na loteria.
E reunir todos os loucos em uma sala grande e branca de Inhotim.
Lá, chamar um a um pela profissão.
E soltar tiros de festim.
Matar tudo o que é de mentira.
Festejar a humildade com uma festa de 3 dias.

Ah… Terça feira engraçada.
O suco bem que poderia ser de cevada.

Mergulho

segunda-feira, 2 de julho de 2012

carvão

Quando as coisas escurecem, nada de pensamento positivo.
Impossível.
Tudo menos ficar parado.
Aos poucos, os olhos se acostumam e o coração volta ao normal.
Ande.
Ouça os próprios pulmões.

Semana puxada, terminei alla Ana Pessoa.
Fazendo loucuras que você não faria.
Fui ouvir um cara que dizem que é sábio.
E ele não me disse nada de novo.
Mas aquilo de falar tudo o que eu já desconfiava bateu forte e macio.
Saber da missão.
Saber que o fácil é para os fracos.
Caminhar no lodo.
E não perder a fé.

Feliz até chegar hoje.
Dois trancos pesados.
Eu tenho um certo romantismo daquelas pessoas que acreditam que um pouquinho de prazer é essencial.
Mas vira e mexe tropeço em gente que topa tudo por dinheiro.
Nossas diferenças?
Eu sei da dureza que é, mas creio.
Eles crêem que não será.

Por aqui ficamos.
Eles se perderam no atalho.