Subindo a ladeira distraída fui abalroada por um não sei quê.
O espelho explodiu.
Centenas de pequenos diamantes sem valor espalhados no asfalto.
Num primeiro momento, susto e raiva.
Num segundo, caça.
Quem, onde, fuga?
Sem respostas, voltei para o ninho.
Atrasada, criei asas.
E comecei agosto remando forte contra a maré.

Escrito por anapessoa

Deixe um comentário