16 out

Não era agito?
Agito a praga que me afligia?
Pois eu aqui, equilibrada, tendo que me metamorfosear.
Equilibrista.
Passadeira.
Diarista.
Trabalho.
Viagem.
E casa.
Casa e contas.
Carro.
Gasolina.
Radiador.
Procuro AZT para o meu gato.
Fato.
Ontem a gatinha preta doou sangue.
Trabalhei, fiz reunião, passei no colégio, reclamei desta correria.
Aproveitei um fiapo de sol.
Comi bomba calórica da padaria.
E nada, nada mesmo
de AZT para o meu gato.
De noite, transfusão.
Na clínica, no hospital todos riem quando ouvem seu nome.
Leleco.
Eu fico indignada.
Confundirem personagem de novela com o um clássico de Nelson Rodrigues.
E não é que ele voltou quase bom?
Mas (ainda) falta o AZT.

Escrito por anapessoa

Deixe um comentário