(farpas)

Vagando pelas ruas cheias,
minha alma procura frestas.

Um ser antes rotundo, iluminado.
Hoje pálido, sem curvas, encurvado.
Sem tempo ou relógio.
Sem fé.
Pura farpa.

Com a voz rouca.
Cabelos cuidadosamente arrumados.
Vagando com a agenda cheia.
Pelas ruas escuras.

Minha alma é só.

Escrito por anapessoa

2 comentários para “Fato”

  1. s. disse:

    e nessa solitude há de encontrar uma presença que lhe fará companhia

  2. Ge Fujii disse:

    …e isso me sustenta…toda essa voz de solidao!!!

Deixe um comentário