Almoço no Gero ao meio dia

Claro que não dá para sair por aí de tanga, não somos índios.
Nem estamos no shape de Nicole Melancia Moranguinho Tchá-tchá-tchá.
Colocar uma piscina de plástico cheia de gelo dentro do carro para me refrescar enquanto estou parada no trânsito…
Encher a piscina de uisque com energético colorido.
E falar ao celular enquanto o fiscal da CET me fotografa em meu melhor ângulo.
Sendo paulistana-paraguaia com pretensões novaiorquinas (e muito, muito cafonas), preto não cai bem nesta primavera com temperaturas de alto verão no Saara.
Flip Flops numa reunião com executivos do banco estrangeiro?
Claro que a vida de caixeiro viajante não tem glamour nem escritório com ar condicionado.
Almoce o que você quiser – a preços módicos ou não – nos melhores fornos da Vila Olímpia.
Ter que administrar empregada, gato, cachorro, bebê e garrafão de água não é nada comparado ao que faz Madonna durante uma turnê.
Ó, vida chata de gente grande com conta furada.
Queria tanto crescer e nada. Parei antes de 1,70m.
Por que tanta formalidade?
Se somos todos brasileiros…
Marquemos logo uma reunião na piscina do clube Pinheiros, com drinques tropicais servidos por garçons de terno branco.
Um make com sombra laranja.
Um biquini enroladinho de duas cores.
Brincos de raios.
Blitz e Titãs.
E 20 anos a menos.
É só isso que quero.
(com uma folhina de hortelã)

Escrito por anapessoa

Deixe um comentário