Fugindo do frio, da casa triste, andei pela vila.
Acompanhada de meus fiéis escudeiros, chutei bola, bebi água, fiquei suja de terra.
Já pronta para ir embora, fui atraída por uma turma de jovens cabeludos em roda.
Havia vários com violão.
Havia uns coroas também.
Cada hora uma música.
Um pic-nic.
Suco, refrigerante, vinho, salgadinho.
Rodei a roda.
Senti o último raio de sol.
Daí que alguém cantou Helena.
E os mais velhos, em coro, choraram.
Fui saindo de mansinho.
A festa, a roda, a música.
Eram uma missa de sétimo dia.

Inverno na Vila Madalena.
Que pena.

por aí, atravessando a rima

Escrito por anapessoa

Deixe um comentário