28 out

Morrendo de rir

Depois de um dia quente e chuvoso, só mesmo Keith Richards para me fazer rir.
Comprei a autobiografia dele e estou dando risadas desde a primeira página. Para quem tem filho adolescente, não recomendo ter um exemplar em casa…
Keith é uma bula de remédio tarja preta às avessas.
A vida dele é um grande efeito adverso…
E parece ter dado certo.

Por aqui, uma manhã no Metropolitan cheio de crianças, turistas, lotado de gente.
Eu só queria mesmo ver a bateria do Ringo Starr e umas jóias bizantinas.
Passei um bom tempo acompanhando o entra-e-sai de gente.
Mc Donald’s das artes.

Tribeca é sempre aquele bairro estranho.
Só o Robert De Niro salva.

E o Brooklyn.
Para ver amigos, as crianças recém-chegadas, comer comida thai e voltar no último trem para o mundo onde não existem tão grandes parques e não habitam tantas crianças.

Para esse post não terminar com tanto senso… Eu repito as sábias palavras de Raimundo Fagner.

“Eu queria ser um peixe…” (dentro d’água)

Para ler depois: “Mel e Girassóis” de Caio Fernando de Abreu.
E ouvir aquela de Nara Leão.

Escrito por anapessoa

2 comentários para “Calor e chuva”

  1. Totônio Rodrigues disse:

    Mel & Girassóis me lembra uma década atrás, adolescência. Há muito não vejo a capa. Era um Van Gogh bem amarelo.

  2. Gustavo P disse:

    VOu seguir sua dica, to terminando de ler a do Slash, muito boa tambem, gosto de ler sobre esse tipo de pessoa :) .

Deixe um comentário