melindrosa

Chego uma hora e meia antes no aeroporto.
Alice, comportada, lambe minha mão e chora baixinho dentro da caixinha que será levada aos trancos e barrancos para o porão do avião.
Depois de pagar um preço absurdo para levar a cachorra bacana, venho para a sala de embarque.
Desvio do Suplicy – acho que ele é pé frio.
Sentada ao meu lado, uma figura conhecidíssima debocha ao telefone:
“- Tanta Vuitton falsa. Tanta Vuitton falsa… Uma coisa esse aeroporto.”
Eu rio por dentro e concordo.
Quem?
Macaco Simão, o próprio.
Ele embarca no atrasado 4710 que partiria às 12h44 para Salvador.

Para quem ainda vai enfrentar um vôo – como eu -, boas notícias: tudo tranqüilo em Congonhas.
Parece que deixar as coisas para a última hora ainda tem suas vantagens…
Sem rabanada, sem peru com farofa e sem tumulto.

Sobre a figura aí de cima…
Fantasias de carnaval.
Essa, na verdade, é de um halloween frustrado.
Resolvi usar logo mais na ceia de natal.
Na mala, 1 kg de confete e uma Demoiselle tete de cuvee magnum para deixar a noite mais fervilhante.
Eu comprei em Reims para uma noite especial – é hoje mesmo.
Eu sou mesmo assim.

Desejo a todos os que curtem o Natal um dia muito lindo, com festa e alegria.
Se não nos falarmos até lá, fica aqui o meu abraço de feliz ano novo.
E prometa para mim que você fará alguma coisa fora da curva antes do apagar das luzes de 2010.

Boa sorte.
Boa noite.

Escrito por anapessoa

Um comentário para “carne crua”

  1. Leo disse:

    Bem sexy sua ceia de natal… 😉

Deixe um comentário