Inspiração

Há momentos em que você mergulha num livro.
Há os das grandes viagens.
Também há para praia e vadiagem.

O meu atual é de janelas.
Uma analogia para o computador – em que trabalhos, bobagens, agenda, uma foto, uma frase – todos aqueles que povoam as janelas se abrem e se fecham ao nosso bel prazer.

Minha janela da alma se escancarou na segunda adolescência.
Ela não tem muita certeza
E tudo começou com janelas de outrem se abrindo para viagens, carreira solo e grana.
As janelas da primeira adolescência.

De prático posso dizer que ir ao samba e tomar uma caipirinha em plena segunda-feira tem lá seu charme.
Passar pela Paulista com Augusta e lembrar do movimento da cidade a cada madrugada.
Chegar em casa e ser recebida com gritos e sussurros pela cachorra de madame.

E acordar empolgada às 7h da matina com uma simples terça feira…
Ah se todo dia fosse domingo de carnaval…

Escrito por anapessoa

Deixe um comentário