1 set

l’héroïsme est peu de chose, le bonheur plus difficile.
Camus

Eu sou uma menina má e fico boazinha de vez em quando.
E hoje fez sol e um pinguim quando caminha pela cidade é por alguma razão muito séria.
Transformar a serviçal em uma mocinha arrumadinha.
Trabalhar pensando que RH nunca é um departamento respeitado pelo CEO.
Traduzir do inglês para o francês e vice-versa (terrivelmente tabajara).
Ler Camus escondido entre uma reunião e outra – travessura corporativa de quinta.

rugas e tinta ruim

Na praça, a terra cheira a molhado.
No escritório, o carpete novo já tem cara de anos 70. Cafona.
No shopping, além de mim e dos executivos almoçando, prostitutas bonitas – todas amigas do rei.

Eu uso muita roupa preta – inclusive em missas e reveillons.
Perguntaram se tem razão.
Respondi que não conheço pessoa alguma que seja razoável.

Sair por aí chutando pedras e latas com gosto.
Andar para lá e para cá – devagar, com uma postura bem ridícula.
Vagar obrigatoriamente.

Fez sol hoje.
E eu quero frio.
Dia de inverno completo.

Escrito por anapessoa

9 comentários para “La chute, la peste et l’homme révolté”

  1. gonçalves disse:

    Felicidade? “É o que chamamos de estado de graça: um parênteses de encantamento durante o qual conseguimos manter a distância a massa ululante dos tormentos, quando o acaso e a sorte se juntam para nos inundar com suas doçuras”. (Pascal Bruckner)

  2. anapessoa disse:

    Não sei se é bom – gosto do caos, das dificuldades, da confusão. Sem depressão nem momentos sombrios.
    Gosto.
    Isso deve ser “meu” quê de felicidade.

  3. gonçalves disse:

    E você os procura?

  4. anapessoa disse:

    De quando em vez.

  5. gonçalves disse:

    Acho que só é feliz na desordem quem nela consegue identificar um padrão oculto, uma melodia por detrás do ruído…

  6. anapessoa disse:

    Risos – e temos ordem? Minhas gavetas e prateleiras são um brinco.
    Da porta para fora… Caos.

  7. gonçalves disse:

    Aaaah, entendi, você não gosta de ficar em casa…rs

  8. anapessoa disse:

    Adoro – mas não quando sou “obrigada”.
    Sou burro chucro.

  9. totonio disse:

    foto de dar um beijo na testa.

Deixe um comentário