instantâneo

Então está combinado: vamos fazer uma faxina na rampa do Planalto.
R$80,00 a diária.
Nos últimos tempos tenho me assumido péssima recrutadora de um tipo peculiar de profissional.
A falta de regras, o mercado selvagem fez com que todo tipo de gente busque a vaga.
Sem especialização ou realmente experiência, todos precisam de um lugar ao sol.
E o que acontece?
Eu sou boa de perguntas e descubro – embora não queira saber:
– que a pessoa tem problemas com a justiça porque bateu em um padre (!),
– que o candidato desistiu do último emprego porque o patrão era um viciado em drogas e, além de tudo, ele não o deixava ver televisão enquanto trabalhava,
– que o último patrão não pagou tributos e acabou fazendo um acordo com a pessoa por um quinto do devido (?);
– que veio para entrevista de ressaca…
Não sei se é o momento, mas preciso de um tempo.
Realidade demais me chateia.
E não sei de onde tirei o “talento” de arrancar verdades.

Peço aos santos que me enviem candidato bom de mentiras para eu acabar com essa história de vez.

Please.

Escrito por anapessoa

Deixe um comentário