14 set

lambe-não lambe

Ouvindo os passarinhos que cantam mais alto.

Esperar pela chuva prometida.
Pensar no dia – cheio de vaziezas.
Procurar pelas luzes dessa cidade que, ao contrário do que vendem, dorme.

Madrugada adentro.

Frio sem meu fiel casaco de couro.
Saia curta.

Pensando em quem desperta – como eu.

Rebelando-se e não fazendo nada.
Rabo de olho na janela.
Toque de recolher ao primeiro sinal de raio de sol.

Escrito por anapessoa

Deixe um comentário