carnaval, cheguei

No samba, menino.
Eu ando mesmo impoliticamente correta (sic).

Menino, foi assim como que acordar as pernas e esquentar o peito.
Me enchi de lantejoulas e frevi. (sic)
Na praça do Arsenal, com a turma do carnaval de salão, menino pendurado no pescoço e muitas, muitas marchinhas.

Colombinas, negas faceiras, amores perdidos, amores matados, pierrôs…
Cheguei devagar, com samba de mineiro, e saí cantando e dando pulinhos pelo centro antigo.
No coração dessa alemã de farmácia bate uma alma carnavalesca.
O menino, tão pequeno e gordinho, foi a alegria da rua, pulando feito um cabritinho e sem chorar.
Ai…
Em domingo sem ídolo do futebol, só confete e serpentina em minh’alma.

(E um maltado porque não sou de ferro)

Escrito por anapessoa

9 comentários para “Comprei plumas de galinha morta e caí…”

  1. t. rodrigues disse:

    mas voce tá…

  2. anapessoa disse:

    …que tô!

  3. t. rodrigues disse:

    por aqui não digo///

  4. t. rodrigues disse:

    e sonho com rua faro?

  5. anapessoa disse:

    O Rio não precisa de uma HP…

  6. t. rodrigues disse:

    tá esperando o q, entao?

  7. anapessoa disse:

    As Olimpíadas passarem…

  8. t. rodrigues disse:

    pelas imagens, a progressao estética esta a todo vapor. nas olimpiadas, sai de baixo…

  9. anapessoa disse:

    O “pobrema” é a progressão geométrica. Sexta-feira me livrarei disso.

Deixe um comentário