(re.sig.na.ção)

sf.

1. Ação ou resultado de resignar(-se).

2. Demissão voluntária do cargo exercido ou da graça recebida; renúncia [+ de (… em favor de) : a resignação do ministro em favor do chefe de gabinete]

3. Fig. Submissão aliada à constância e paciência face aos infortúnios; paciência no sofrimento, coragem para suportar os rigores dos infortúnios, constância em uma situação sem que se reaja contra ela, ou sem que o paciente se lamente dela; paciência: “A expressão do rosto não era propriamente de tristeza ou de resignação, mas de constrangimento, e pode ser também que de ansiedade…” (Machado de Assis, Casa velha)) [+ a, com, em, (per)ante : resignação ao sofrimento:resignação com os reveses: resignação na dor: resignação (per)ante a morte]

Houve um tempo em que minhas insônias eram pura empolgação.
Dia agitado.
Hoje é mesmo cansaço.
Antes, lutava com isso.
Hoje, ando resignada.

Será a idade?

Ah! Os anos que passam e a gente que não vai se acalmando.
Vira aquele bicho meio acuado, meio preparando o bote.
O agito externo vira interno.
Tendo paciência para a hora certa.
Sabendo que certo ou errado variam de acordo com a temperatura.

Ah. A idade.

Escrito por anapessoa

Deixe um comentário