13 mar

“To live is the rarest thing in the world. Most people exist, that is all.”
Oscar Wilde

Pois hoje apenas existi.

Lendo e me atualizando – por obrigação profissional – sobre as fanfarronices do futebol nacional.
Desde jogador bêbado, passando por ex-dirigente ficha suja até chegar em goleiro criminoso.
Uau.
Futebol é uma coisa ‘submundo do crime’.
Era uma vez Pelé que roubou do UNICEF que chamou Ronalducho para levantar uma grana que defendeu Ricardo Teixeira e fez o Corinthians contratar o Adriano. Adriano que descia ladeira abaixo como tantos e tantos outros.
Vontade de ver o filme “Heleno” mesmo sabendo que não vai vale a pena.

E a política?
Houve um tempo – poético – em que eu acreditava em anular meu voto.
Hoje acredito em eleger o menos pior e atrapalhar os terríveis que estão por cima.
Nas últimas eleições, ajudei a derrubar o Netinho de Paula…

Ah…
E a amiga que precisa de um abracinho?
Ela está em seu casulo e eu aqui pensando nela.
E a amiga cheia de esperança no futuro?
Se eu pudesse, beberia água da mesma fonte.
Ah – meus amigos queridos – que vêm e que passam como a garota de Ipanema.

Fim de dia. Vou reler o Fantasma de Canterville para ver se recupero o humor fino.

bu!

Escrito por anapessoa

4 comentários para “Fantasmas”

  1. T. A. S. Neves disse:

    Ana,

    adorei essa de derrubar o Netinho.

    Quem sabe não tenhamos a oportunidade de repetir a dose.

    Não agüento essa demagogia de “Ah! mano, vamos construir uma São Paulo mais periferia, COHAB e blábláblá”.

    Também gostei muito da fotografia do fanstasma.

  2. anapessoa disse:

    Eu quero a minha SP, cansei de SP de todos. De todos menos você, não é?

  3. T. A. S. Neves disse:

    Ana,

    mas acho que, desta vez, o sujeito só está fazendo uma forcinha para negociar a legenda a um preço mais alto.

  4. anapessoa disse:

    É… pode ser.

Deixe um comentário