28 mar

Ultimamente estou com idéia fixa.
Mão de obra.
Num país que está na moda, como pode haver tanta disparidade?
De um lado, essa que vos escreve só circula com ou encontra poliglota com MBA em Harvard e todas essas figurinhas de álbum da Copa.
E, do outro, gente simples com todo tipo de história.
Raladores, perdidos na noite, valorosos, esforçados, malucos, irrecuperáveis.
Como?
Numa estatística sem instituto aferidor, nesse patamar sem – pelo menos – duas línguas e colégio particular, conta muito o caráter da pessoa, seus valores.
Menos de onde veio.
E eu não entendo muito como pudemos ter um presidente iletrado e ainda não temos espaço para seus iguais.
Enfim, a conversa vai longe e você não está com tempo para isso.
Vou ficar aqui pensando em como transformar esse fosso em notícia.

Escrito por anapessoa

2 comentários para “Perdida no asfalto”

  1. anapessoa disse:

    Perfeito. Ilustrou minha revolta.

Deixe um comentário