Posts com a Tag ‘12 Steps’

Teatro, cinema e televisão

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Eis que surge do nada uma caixa de Ladurée – sabores vanille e chocolat amer… Um manjar dos deuses que logo comi como se fosse biscoito de polvilho. Três – um depois do outro enquanto dirigia pelo meu passado em São Paulo.
Seja bem vindo ao mundo dos “pobres excêntricos”!

A tampa da prova do crime

Ontem foi a pré-estréia da peça com a surpreendente Cristina Mutarelli e direção de Naum Alves de Souza. Fui convidada pelo queridíssimo Muca, ou Omar de Lucca, que assina o “visagismo” (eu nem sabia que essa palavra era usada para designar maquiagem das estrelas).

O local? Um inferninho na Barra Funda. Anote aí e não perca – De Lula a Cristo, todo mundo apanha na Frenesi – Rua Brigadeiro Galvão, 871 – telefone: 3666-8971 (terças e quartas às 21h)

Antes, parada no boteco para um pão na chapa e uma Skol edição especial da Seleção. Metade do jornal na Band, depois JN com muito sarcasmo.

Pois foi na Barra Funda, rua Lopes Chaves, em uma casa vizinha à de Mário de Andrade que comecei minha história com a Pequena Maçã.

Tudo muito diferente da vidinha “casa da mama-subir Bahia, descer Floresta – ciência política e semiótica – Mercado Mundo Mix – Praça da Liberdade – Cine Belas Artes – Serra do Curral”.

E nem precisa dizer que uma casa ao lado da do mais ilustre dos modernistas, do amigo de Drummond, do que viajou o Brasil redescobrindo nosso folclore… uma casa assim, com um quarto cheio de equipamentos de iluminação que serviriam para transformar aquele então desconhecido ator, Matheus Nachtergaele, num monstro que fazia muita gente chorar e desmaiar na maternidade desativada do (fechado) Hospital Matarazzo. A peça? O Livro de Jó.

meda

Some-se a tudo isso, uma rodoviária que só atendia mineiros, a Bresser. Era uma porta menos hostil de entrada. E foi desativada depois do 11 de setembro. O fato do irmão de Bin Laden morar em Belo Horizonte diz que aí tem coisa…

Pois São Paulo era um estranho mundo novo. E a Barra Funda o exemplo mais concreto de uma Vila Operária com direito a casa de escritor e centro cultural criado por Niemeyer, o Memorial da América Latina. Tudo feito à pé, na contramão do fluxo paulistano.

Depois, quando vim com edredom e cachaça, meu universo passou a ser a Bela Vista. Com direito a aperto no peito ao andar no frio de uma Paulista cinza e cheia de gente esquisita. Eu pensava na minha montanha e não encontrava nada. Transformei meu quarto num grande memorial mineiro. Com armário de fazenda, cama de madeira trabalhada, parede amarela. O que me salvou mesmo foi o pessoal da padaria Gemel. Nada como acordar de manhã, receber “bom dia, Ana. Cafézinho e pão com queijo na chapa?”. Isso, sim, quebrava o gelo.

Para não dizer que não esqueci das flores. Hoje vamos misturar dois passos para acabar logo com essa novela.

10 . Continued to take personal inventory and when we were wrong promptly admitted it. (Continuamos fazendo o inventário pessoal e quando estivermos errados, admitiremos prontamente.)

11. Sought through prayer and meditation to improve our conscious contact with God as we understood Him, praying only for knowledge of His will for us and the power to carry that out. (Tradução não literal : Procuramos através da prece e da meditação, melhorar nosso contato consciente com o Universo como nós O compreendemos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade para conosco e para o poder de realizar essa vontade.)

Então tá…

Farmácia, a melhor amiga do homem

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Atendendo e me divertindo com os pedidos, o post de hoje é uma cópia horrorsa da Gawker.
Antes, um toque pessoal:

5 – Admitted to God, to ourselves, and to another human being the exact nature of our wrongs.
Admitimos para Deus, para nós mesmos, para outro ser humano a natureza exata de nossos erros.

Depois de dar a outra face, de acreditar em Deus, de assumir que somos workaholics incorrigíveis e com espírito livre (o que combina tanto quanto uma camiseta roxa, um sapato verde e uma saia amarela de bolinhas vermelhas) e que isso é uma doença incurável, podemos cair em tentação de trocar um vício pelo outro. E a vaca ou vai para o brejo ou para uma das agências do Nizan!
Aqui entra a Gawker para nos ajudar com sarcasmo e didatismo. E eu com uma tradução com toques pessoais de absurdice.

Esqueça a preparação para a maratona (que libera nutrientes que dão prazer como a serotonina e antioxidantes que te deixam com a cara do Popeye), esqueça os quinhentos reais da análise ou mesmo uma tarde de compras finalizada com uma caixa de chocolates Mozart by Mirabell. O milk-shake da Lanchonete da Cidade é páreo duro… Mas…
Com mais de 200 medicamentos psicotrópicos, antidepressivos, ansiolíticos, estabilizadores de humor e pílulas para dormir para escolher, qual é o melhor para você?

Vamos atropelar alguns medicamentos para tratar melhor o “transtorno de ansiedade generalizada” que atinge a nossa sociedade com a ajuda de dois psiquiatras NYC e alguns dos nossos amigos chegados num comprimidinho.

Camisa nova do Flamengo

CYMBALTA

Considerada especialmente útil no combate à dor física associada à ansiedade e depressão, a venda  desta pílula subiu mais de duzentas vezes de 2005 a 2009 o que pode colocá-la no hall da droga preferida desta era “nervosa”.
De acordo com um usuário de longa data, enquanto pede desesperadamente por Cymbalta para manter em ordem seu transtorno do humor e os sintomas psicossomáticos, os efeitos colaterais incluem a incapacidade de ter um orgasmo ou de beber álcool sem ficar doente.
“Em outras palavras, ele acaba com as coisas mais divertidas da vida”, diz ele.

Amigo de Hollywood

XANAX

Perfeitamente formulado para virar o sucesso entre os doidões, Xanax é agora o remédio mais prescrito nos Estados Unidos. Só no ano passado,  44.029.000 de receitas foram surpreendente assinadas por profissionais que passaram, no mínimo, 10 anos em faculdades. Você pode ser sorteado com os azuis ovais ou com os brancos achatados (os mais fortes do mercado e, por isso mesmo, em destaque na foto). Ideal para reduzir a ansiedade com rapidez e baixar os sintomas de pânico. Viciante como o inferno. US $ 2 é o preço da felicidade em pastilha.

Botão da vovó

KLONOPIN

Embora de efeito mais duradouro, não é tão rápido como seu companheiro de benzodiazepínicos, Xanax. Ou seja: garoto bom, mas que não está antenado  nos nossos tempos. Por não ser considerado tão viciante como outros tranqüilizantes, os médicos que tratam pacientes com personalidades compulsivas preferem o “K”. Se você quiser ficar na moda, comece com o “K” furadinho… E como é o caso de Xanax, e de  todos os outros medicamentos desse post, o genérico aqui funciona muito bem.

É o barato (nos dois sentidos) que satisfaz.

5 pontas, ativar!

ATIVAN

Esquecido por anos, tem ação rápida, é altamente sedativo.
Nos últimos tempos ele foi redescoberto e  alcançou o terceiro lugar no ranking americano. Os efeitos colaterais incluem muito sono e tonturas.
Um amigo diz para não tomar mais de três antes antes de ir para o processo que decide sua separação. Caso contrário, de duas uma: ou você pode ter que pagar uma pensão maior do que esperava ou acabar babando no ombro do seu advogado.

O meu era manipulado

PROZAC

Praticamente sinônimo de antidepressivo entre o povão, foi o primeiro SSRI (inibidor seletivo da recaptação de serotonina) aprovado para tratar a depressão no final de 1980. Seu composto do diabo, a fluoxetina, foi desenvolvido uma década antes. Apesar de cortar a libido, dar sono, engordar e outras coisinhas fofas, o laboratório Eli-Lily foi capaz de convencer a população de que a cápsula verde e branca representa uma revolução em neuropsiquiatria. Com um pouco de ajuda de escritores da geração X (ou você acha que é só a Y que faz estragos?) como Elizabeth Wurtzel, de repente, todo mundo tinha que ter. Mas, alguns anos mais tarde, Prozac provocou um escândalo quando se descobriu que uns carinhas que atiraram em todo mundo do escritório apresentavam doses elevadas do medicamento na corrente sanguínea. A pergunta que não quer calar é: precisa mesmo de Prozac para abrir fogo no escritório?

F de fome, 10 de kg

LEXAPRO

O nome é de impressora baratinha, a campanha publicitária te leva e traz de volta de Woodstock…
Resultado: ele botou o Prozac na havaiana da titia.
Efeitos colaterais comuns incluem o ganho de peso, mas uma psiquiatra diz que “ama prescrever Lexapro,”  porque, segundo ela, esse é o anti-depressivo com os efeitos colaterais menos graves.
Engordar = felicidade?
Então compra uma quentinha do Lig-lig e rebata com um pote de sorvete “sabores de festa junina” da Kibon.

Sem poesia

ZOLOFT

Bom para quem tem TOC, mas fraco se comparado com o impulso energético de outros ISRS.
No Brasil, é super usado para quem tenta deixar o tabagismo.
Aqui, é vendido como o capeta de cabelo alisado…
“Não se escreve o grande romance americano com Zoloft”, diz um psiquiatra engraçadinho.
(Fato: ninguém escreve o grande romance americano com qualquer Prozac também).

Placebo!!!

BUSPAR

Um tranqüilizante meia-boca e totalmente inútil que alguns médicos cautelosos prescrevem para tapear pacientes desavisados.
Chore e peça algo de verdade.
Exija seus direitos!
Se isso falhar, compre um litro de uísque e não dê uma festa.

Tem mais de 30?

PAXIL

Devido à suposta natureza pacífica (Pax é paz em latim), tornou-se popular quando a galera do Prozac começou a ficar misteriosamente violenta no final dos anos 90.
Provando mais uma vez que é impossível ter tudo isso numa pastilhinha amiga, os efeitos colaterais incluem apatia e perda do desejo sexual.
Nada que um Prozac também não garanta…

Não confunda com a Marrom

HALCION

Em anos passados, o sono era o segredo de uma vida feliz.
Segundo fontes quentes, Papai Bush não dispensava o seu vidrinho e elegia como melhor amigo em suas viagens no Air Force One.
Os efeitos colaterais incluem, porém, os comportamentos bizarros, como “dirigir dormindo”.

5,4... sono!

AMBIEN

Não é tão poderoso quanto Halcion, mas vai certamente ajudá-lo a dormir.
Como Halcion, tem sido ligado a “sonambulância” (sono+direção=hospital) e ao desagradável “coma enquanto dorme”.
Mas também pode temperar a sua vida sexual, pelo menos de acordo com Tiger Woods.
Segundo a temível imprensa marrom, o atleta peralta tomava antes de ter relações sexuais com suas amantes.
Deu no que deu…

Borbulhas loucas

ADDERALL

É preciso explicar, a não ser que você faça parte dos Hells Angel: Adderall (anfetaminas e outros correlatos) não vai ajudar a aliviar sintomas de ansiedade.
Ele agita horrores e fazer você suar!
Mas o apelo da droga para o atormentado e com pouco tempo para decidir é inegável.
Misture com um calmante e veja que bicho vai dar…

PS: Não gosta de texto paraguaio? Quer o original?
Vá lá: http://gawker.com/5541800/the-pill+poppers-guide-to-the-apocalypse?skyline=true&s=i

Meltdown

terça-feira, 25 de maio de 2010

O terceiro passo, para mim, tem que ser transformado.
“Tome a decisão de entregar sua vontade e sua vida aos cuidados de Deus, como nós O compreendemos.”

Pois eu conto o que me aconteceu.

Acordo às 6h e corro para o metrô.
Vejo a multidão que toma os trens as 6h30. Tudo certo – estou no contra-fluxo.
Chego na hora certa no analista… e dou com a cara na porta.
A consulta é amanhã e não hoje.
Risos.

Tomo o metrô de volta, vou para a academia, tomo um banho de HORA E MEIA!
Francês.
Feijoada com amigo.
Decido não ir para o escritório.
Passeio com a cachorra – às vezes eu penso que bati com a cabeça…
Mas o mundo pode ser simples assim? Por que eu compliquei tanto?

Hora do passo 3!
Ontem ligam na revista e pedem para alguém ir ao encontro do VP de marketing da Burberry. Eu, na fase “com tempo”, topo.
O encontro foi hoje e cheguei – como há tempos não consigo fazer (e sofro) – na hora certa.
Pedi um chá de 30 reais (era o mais barato do cardápio) e pensei: estou louca da silva. Vou me encontrar com a presidente da marca no Brasil e com um dos VPs mundiais e nem me preparei… Confiro o look, tomo o chá milionário e espero pela dupla. A proposta era bater um papo sobre nosso mercado.
O moço aparece bem vestido, todo de negro. Ele me mostra todos os projetos no iPad e diz que quer conquistar a América Latina via mundo digital.
Meu D-E-U-S, isso só pode ser um sinal!
Uma das casas mais antigas da Inglaterra dá um banho em muita marca nascida ontem e que se diz modernete.
Os caras querem apostar todas as fichas em redes sociais, websites, blogs e bloggers – santo Deus da plataforma digital!
Existe vida inteligente na Terra!

Saio feliz e matutando idéias.
Ontem à noite pensei numa maneira super agradável de passar os próximos 3 meses.
A Burberry vai ter que esperar…

Abaixo, onde está Wally em 3 segundos:

Capítulo 2

segunda-feira, 24 de maio de 2010

2 – Came to believe that a Power greater than ourselves could restore us to sanity.
(Chego a crer que um Poder superior a nós mesmos poderia devolver-nos à sanidade)

Eu não creio em Deus, em vida após a morte, em que sejamos especiais. Mas penso que algo mais forte do que nós mesmos pode nos devolver à sanidade. Creio mesmo.
Depois do meu primeiro passo que, com certa graça, confesso me deixou de ego amaciado: recebi quantidade de emails dizendo que tive coragem… depois desse primeiro passo é preciso crer.
Para poder caminhar.

Hoje construí um dia diferente e agora, de noite, eu mesma me surpreendi. Desisiti de ir para minha aula de francês e perdi minha estréia no Jornal Nacional. Afinal, o destino bate à porta. E pode ser que eu tenha tido uma boa e inesperada idéia. O tempo dirá.

O programa dos 12 passos começou com o AA nos idos de 1930. E eu estou achando bem interessante adaptar para outros vícios: o de esquecer de si, por exemplo.

Enfim, vamos logo ao capítulo 3.

PS: Recebi um email um tanto tosco me advertindo: “dizer a verdade tem seu preço”.