Posts com a Tag ‘cachorro’

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Protocolado ontem na Corregedoria da Câmara de São Paulo, o relatório sobre supostas irregularidades cometidas pelo vereador Netinho de Paula (PC do B) acata as denúncias feitas contra o parlamentar e pede que o político e ex-cantor tenha seu mandato suspenso por um período de um a três meses. (…) Em sua conclusão, o relator afirma que investigações do Ministério Público e da Delegacia de Crimes Funcionais apresentam “diversos e relevantes elementos probatórios” que corroboram a tese (…) de que Netinho usou notas frias ou fora do padrão necessário para justificar o uso da chamada verba de gabinete – cujo valor hoje chega a pouco mais de R$ 18 mil.

Arthur Guimarães, do UOL Notícias

 

Greve da CPTM é suspensa em São Paulo

Trabalhos vão ser totalmente retomados em uma hora e meia.
Nova assembleia está prevista para acontecer no dia 10.

(do G1, em São Paulo)

O ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, afirmou nesta quinta (2), após a cerimônia de lançamento do programa Brasil sem Miséria, que poderá se pronunciar sobre sua evolução patrimonial, mas não disse quando.

(do G1, em Brasília)

 

Promotoria pede bloqueio de R$ 860 mil da Americanas.com para pagar multa judicial

RIO – O Ministério Público do Estado do Rio informou ao GLOBO que pediu o bloqueio de R$ 860 mil nas contas bancárias da Americanas.com. O motivo é o descumprimento da decisão judicial que impede vendas da empresa para consumidores do Estado do Rio de Janeiro, enquanto não forem regularizadas entregas atrasadas.

(O Globo)

 

Choramos ao nascer porque chegamos a este imenso cenário de dementes.
William Shakespeare

 

Eu tenho certeza de que lemos todas as manchetes para confirmarmos que vivemos na Terra do Nunca. Em nossas vidas pacatas de classe média, vamos à yoga, ouvimos passarinhos, tomamos ônibus, guardamos o carro na garagem, passeamos com o cachorro, compramos pão na padaria, almoçamos com colegas de trabalho num shopping.
Fim de semana tem caminhada pela rua, pipoca no cinema, locadora, pizza.
Ouvimos uma discussão de vizinhos, mas tudo bem – é a vida.
Pensamos em fazer academia.
A calça anda apertada.
Sonhamos com viagens de férias.
Domingo, topamos pegar a estrada para comer naquele restaurante no alto da montanha.
Um fiapo de sol e ficamos imóveis.
Jornal, iPhone, blackberry, iPad – porque também somos filhos de Deus.
Uma foto.
Música.
Apertados para pagar a conta.
Tom Jobim.
Beija-flor.

Porque o mundo de verdade é muito mais simples do que o que lemos nos jornais.

Sobre a previsibilidade

domingo, 3 de abril de 2011

Depois de muita corrida e passeio vagabundo sem rumo, o vira-lata reencontrou o portão de casa.
Não é que ele tenha fugido, mas um dia…
Um dia ele saiu e encontrou a porta de casa fechada.
Para passar o tempo, resolveu andar.
Primeiro um quarteirão.
Uma rua.
Dois quarteirões.
Quase atropelado.
Aprendeu o que os donos nunca conseguiram ensinar.
Atravessou ruas.
Cheiro de pastel de feira.
Fome.
Água de vala.
Volta para casa.
Onde?
Chute. Pedra.
Foi amarrado.
Passou duas noites preso a um portão.
Roeu a corda. E nem abanou o rabo.
Com o fiapo de força que não sabia que tinha, correu.
E deitou exausto no meio de uma praça suja do Centro de São Paulo.
Fraco, faminto, foi mordido por outros cães.
Virou latas.
Coxinha, misto quente, arroz com chuchu.
Salsicha.
Azedo.
Doce.
Com a barriga cheia, quarteirões.
Portão.
Casa.
4 dias.
E seu latido mudou.

(para sempre)

Eu não sou cachorro não

sábado, 18 de abril de 2009

090418072646_petairways226b1Dica da Guta e que eu serei cliente!
Surgiu uma nova companhia aérea só para pets. O dono não é aceito nem no compartimento de carga…
No lugar dos assentos, Kennels.
E os bichinhos têm direito a usar o banheiro e contam com assistentes que conferem se tudo está indo bem com eles.
Nada mais justo. Hoje a cachorrada e e a gataiada viaja como se fosse uma mala. São jogados de um lado para outro. Não podem beber água… É uma tortura.

No mais, peguei uma gripe violenta. Acho que Minha professora de pilates foi quem me passou. Estou com tosse asmática, dor de ouvido…
Bela maneira de curtir um feriado…

E alguém viu o novo corte de cabelo de Marcelo D2? É o Cascão reencarnado. Depois que fez canção de amor para o Ronalducho, resolveu vestir o figurino…

Falta de assunto…
Fui!

Um dia fora da oficina

quinta-feira, 5 de março de 2009

photo-1151

Esse negócio de ter que falar outras línguas para pagar o pão quentinho da padaria Rodésia está me deixando bem lelé.
Office, oficina, escritório, bureau.
E no twitter eu faço a maior salada.
E escrevo inglês errado… Na maior cara de pau. A frase sai uma coisa meio tupiniquim-gringa…
E aproveito para treinar o francês, língua que deixei no primeiro ano de faculdade, quando eu fazia, letras, jornalismo, saía todos os dias, trabalhava de garçonete e ainda tinha uma banda de rock niilista: ninguém sabia tocar e só usávamos letras de John Fante, Reich e outros beeeeem cult para a nossa faixa etária.
Enfim, bons tempos são realmente aqueles em que você dá tiro para todos os lados e não tem que pagar carro, condomínio, cartão de crédito, estacionamento…
Bom, toda essa introdução é para falar que hoje trabalhei em casa.
Tinha que preparar laudos de uma concorrência e preferi concentrar esforços sem as distrações do escritório.
Resultado: acordei a uma da manhã com o olho vermelho, alergia do tempo seco+calor da pequena maçã, São Paulo. E não consegui dormir. Fui para o quarto de hóspedes e levei comigo a bigrafia de Warren Buffett – página 531.
E nada do sono chegar.
Óbvio: a emoção de poder ficar em casa me deixou ligada!
E acordei (?) seis da manhã com a cara toda inchada.
Fiz meu caminho normal – peguei o carro e fui para a academia pagar meus pecados.
Entre um abdominal e uma ponte, lembrei que tinha deixado umas coisas no trabalho.
E saí da academia com uma roupa bem bagunçada e passei no escritório.
Foi engraçado. Chegar sem pressa, ir para a minha mesa e não ligar o computador.
Pegar minhas coisas e, às 10h da manhã, enfrentar engarrafamento… para ir para casa.
Chegando em casa, uau… Jura que tenho que trabalhar?
Confesso, comecei depois do almoço.
E resolvi tudo tão rápido que fiquei surpresa.
Como é bom trabalhar em casa.
E como o que eu faço praticamente não implica que eu tenha que ficar no escritório.
Deu tempo para passear com a cachorra doida.
Deu tempo de fazer tudo e mais um pouco.
E o dia foi ótimo. Solitário, calmo.
Mesmo com o calorão.
Mesmo com a vida lá fora.
Só o fato de estar em casa, sem estresse, sem pressão…
É, hoje foi DIRETO DA GAIOLA com a portinha aberta.
Agora só falta deixar o trabalho chato, ganhar na loteria e ficar de papo para o ar…