Posts com a Tag ‘compras’

Mrs. Bean

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Prazos apertados, calor danado e (…)!
Internet, telefone – tudo fora do ar.

A moça da limpeza colocou a tomada do aspirador na fonte master da casa.
Primeiro pensei comigo: fusível queimado.
Pedi para ela interfonar para o porteiro e descobrir com ele onde poderíamos comprar um novo.

– Adelino, onde a gente compra um fuzil (sic) que o da dona Ana estourou?
E eu gritando: “fu-sí-vel”.
E ela repetindo para o moço:
– FU-ZIIIIIIILVE!
– Sei não senhora não.

Tenho pressa, texto para entregar!
E eis que uma parede inteira está sem eletricidade. Duas salas, dois banheiros… Uma parede inteira está mortinha da silva.

Enquanto a moça corria atrás do fuzil, eu virava eletricista.
Abro a caixa de passagem e começo a testar todas as chaves.
A casa vira uma boate e a porcaria da eletricidade volta.

E ela também volta esbaforida:
– Os fuzil estão em falta no Recife.
Respondo com calma que entendo. O crime anda mesmo organizado.
Ela nem pisca.

Texto enviado, hora de ser dona de casa.
Lista de compras: eu falo, ela escreve.
1) Guarda Napo
2) Amém Duas
3) Olho
4) Marionese
5) Colvei
6) Massan
7) Venixe
(…)

Chego em casa exausta, peço para guardar as compras.
Num vidro, ela mistura os grãos de arroz e feijão.
Eu, que não prestava atenção, só tive tempo de ouvir a explicação:
– É uma pena que não dá para fazer com a mistura numa panela só.
Pergunto se ela é maluca.
Ela diz que é meio assim porque foi puxada de “fórpeces”.

Ah, Brasil, logo mais tomo um processo, eu sei…

Carango

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Hoje foi dia de acelerar nas curvas.
Carro limpinho e chuva.
Carro com ABS ajeitadinho.
Corrida maluca o dia todo.
Discurso na sala de espera.
Pelo fim da espera!
Gracinhas por aí.
Meu nariz vermelho saiu da toca.
Compras loucas para evitar a chatice na viagem.
Calor.
Sorvete.
Sono.
Boa noite.

Eu acho que o mundo pirou (ou Frida fritou)

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Flagrante de minha manhã

Estou dormindo pouco.
Deito tarde, acordo cedo.
Trabalho.
Corro para chegar com tudo pronto até o Natal.
Em paralelo, casa para montar.
Tem coisa mais chata?
Preço de eltrodoméstico, acerto de contrato, empresa de mudança, tomada de preços…
Para relaxar, nem joguinho besta do Facebook ajuda.
Vinho não tentei…
Acabo rodando os sites de notícia e me admiro com o mundo.

Prefeito assassinado. Secretário de habitação preso.
Tentativa de assassinato de genro. Milionário dono de companhia de transportes preso.
Pai que mata dois filhos.
Pai que mata filha.
Wikileaks, estupro e intriga política.
Menino mau do Facebook eleito personalidade do ano.
Chove chuva, chove sem parar.

Eu sei, estou procurando sarna.
Mas dá para fechar os olhos diante dessa ferocidade animal a que somos expostos todos os dias no noticiário?
Fico pensando: o que não nos faz animais?

Destesto dezembro.
Destesto chuva que dura uma semana.

Gosto de sol com brisa.
Passarinho na janela.
Ficar em casa sem fazer nada.
Miado de gato.
Cachorro bobo.
Corrida na praia.
Açaí do Bibi.
Pizza do Braz.
Música nova.
Música velha.
Tênis usado.
Roupa de linho.
Livro novo.
Livro velho repetido.
Poesia concreta.
Champagne com amigos.
Sol no rosto.
Esmalte colorido.

2011, te espero ansiosa.

Casa!

domingo, 14 de junho de 2009

photo-1911

 

Volta para casa.

Contei 51 picadas de mosquito. Pernas e costas.

Busquei Alice em São Roque.

Cheguei em casa, banho na cachorra. Banho em mim.

Desfazendo mala.

Fazendo compra de supermercado via web.

Gatos carentes.

Preguiça de tudo.

Frio para caramba.

Deixei todas as fotos incríveis em Salvador.

Só semana que vem posso mostrar minha redescoberta da cidade (que não mudou nada desde que morei por lá em 1998) A cidade está mais feia e tudo parece congelado no tempo. 

 

Fui!