Posts com a Tag ‘estresse burocracia trabalho azar coincidência’

A união dos polvos

quarta-feira, 25 de março de 2009

doctor-octopusMomento de burocracia

 

11h20 – Consulado do México

Entrevista para visto marcada pela internet

O táxi para na porta. O segurança (brasileiro) ameaça mandar multar o carro porque é proibido parar no local.

Mesmo sem haver fila, o segurança – num total abuso da falta de autoridade – me faz ficar parada na porta.

Depois de um tempo, outro segurança me bota para dentro.

Um deles me informa que não posso usar celular dentro do Consulado.

Pedem para eu abrir a bolsa. Será que o fofs sabe que uma bolsa-saco não abre? Eu nem me dou ao trabalho. Deixo para ele a bolsa. Ele não mexe e me devolve.

Numa conversa rápida com o rapaz que confere os documentos, ele me conta que a reclamação é geral. Que os caras são trogloditas mesmo. É patada para todo lado.

mexico-visa2Uma hora de espera e duas perguntas depois, visto autorizado.

Na saída, adivinha quem está atendendo o celular dentro do Consulado? O troglodita.

Gente, o cara veste um terno preto num calor de 29 Celsius e começa a tratar a brazucada a patadas.

Isso porque trabalha num consulado xicano que pede visto porque os americanos mandaram.

Que vergonha!

14H30 – Banco Real do Centro Empresarial das Nações Unidas.

Pego minha senha de atendimento e me junto a 4 caras que estavam esperando há 15 minutos pelo atendimento.

Os caras, todos contínuos de grandes empresas não se falam.

Mas eu começo a perguntar: vocês estão esperando desde quando? quem é o primeiro da fila? você vai demorar? veio fazer o quê?

Caramba!

Todos eles se conhecem, embora nunca tenham se falado. Sabem quem demora mais. Quem só faz saque polpudo. Quem paga muita conta… Quem segura a fila.

E a conversa gera uma revolução. Um deles dá uma prensa num funcionário do banco.

O funcionário dá uma prensa na única caixa – que deve medir 1,40 – e a fila começa a ser atendida.

Pago meu visto. No site, falavam em 300, 400 dólares. Paguei 90 reais.

Às 16h meu passaporte chega. O visto é igual ao dos Estados Unidos. Cópia fiel.

Só que a foto ficou horrível e vale por dez anos.

Tô livre da burocracia mexicana até 2019.

Então fui.

Contabilidade, boas idéias e aquela vontade de fugir

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

rosafeliz

Cena 1 – Academia – 7h

Eu chego animada. Eu sempre chego animada para malhar.
Um pouco cedo para a aula de abdominais de 7h30.
Vou para a esteira, para dar uma aquecida de dez minutos.
Na minha frente, uma poderosa, de bermudinha e top, morenaça, correndo.
Eu, like always, de malha ok, e um coque bagunçado para não ficar de cabelo molhado de suor.
Ligo a TV da esteira e vejo a Mariana no BDBR.
No reflexo do espelho, a poderosa da academia.
Eu penso: parece uma ex-colega da escola.
Olho de novo.
Não pode ser. A ex-colega já teve dois filhos, casou com um cara mais novo, mora também em SP.
Olho mais uma vez.
É ela mesmo.
Dois filhos, um corpaço, correndo a 10km/h.
Oooops.
Tá na hora da minha aula.
Eu fui corcunda caminhando para meus abdominais.
Com os seis kg que ganhei de outubro para cá, não ia ser hoje que ia falar com a ex-colega.
Só no ano que vem. E se tudo der certo.

CENA 2 – Escritório – 10h

Ainda não estou inscrita no SAP da empresa.
Nos últimos meses fiz quatro viagens: Peru, Argentina, Porto Alegre, Chile. Fora alguns almoços e gastos extras com eventos e promoções da empresa.
Recebo um e-mail do financeiro.
Não tenho como fazer a prestação de contas das minhas viagens e muito menos receber reembolsos.
Só quando meu número de SAP for liberado.
Ou se eu fizer em nome de outrem. É sério. Se alguém prestar contas por mim.
Contei até mil. Respirei fundo.
Ca-la-ro que ninguém vai me pagar com juros o dinheiro que gastei em nome da empresa.
Ca-la-ro que vou ver esse dinheiro no dia de São Judas, aquele das causas impossíveis.

Cena 3 – Concessionária – 11h30

Tive uma reunião rápida perto do trabalho e aproveitei para deixar meu carro na revisão de 18 meses.
Eu havia marcado horário.
Óbvio que não encontraram meu nome.
O carro ficou lá.
Se tudo der certo, amanhã de noite, na hora do meu rodízio, o carro vai ser liberado.

Cena 4 – Escritório – 12h29

Blogando no trabalho.
Esse é pelos juros do que me devem.
Contei até cinco.
Meu dia feliz começa agora.