Posts com a Tag ‘Golfo do México’

Atenção

terça-feira, 4 de maio de 2010
voto consciente

voto consciente

Dizem que, quando queremos comprar um modelo específico de carro, passamos a ver mais e mais desse modelo nas ruas.
Quando gostamos de uma música, ela toca nas rádios com mais frequência…
O psicólogo William James (1909/1981) afirmava que a experiência de um indivíduo não é constituída por todos os acontecimentos do meio, mas, sim, por aqueles em que há interesse do indivíduo. Presta-se atenção àquilo que se escolhe dar atenção. Dessa forma, existe uma espécie de filtro que seleciona aspectos do meio e torna o sujeito ativo no controle de suas experiências.
Não fora assim, não seríamos humanos vivendo em sociedade…

E, para os brasileiros e latinos atentos, hoje no G1, o assunto (para variar) era discurso do Lula.

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira (3) que as eleições de outubro serão uma oportunidade para preparar a transição do Brasil da condição de economia emergente para a de potência global.”

E essa transição para além do discurso?

Por que os Estados Unidos  e a British Petroleum não conseguem controlar o vazamento de petróleo no Golfo do México? São 700 mil litros por dia… Porque nenhum país sabe, mesmo ricos, poderosos ou que quer que pensem que são ou serão um dia.

O que um desastre como esse nos ensina: a falar menos e planejar mais…
Na CBN, um comentário muito bom do Sérgio Abranches. Aperte o play.

Nos últimos dias, além de maratona, compras e churrasco (sou vegetariana!), o assunto – como o de todo mundo que tem uma conta para pagar foi trabalho.
O trabalho é o maior paradoxo da criação dos homens.
Amamos, odiamos, fugimos, afogamos – seja qual for o verbo, trabalhamos e muito.

E quem vive em São Paulo e não ouviu falar do Alfredo Assumpção da Fesa, precisa já fazer audometria.
Alfredo envia um texto e minha atenção vai lá com seu dardo certeiro.

O comando do mundo dos negócios pertencerá a quem tiver maior competência de gestão de capital humano.
“Pessoas não são commodities”. Precisam ser tratadas como seres humanos completos, incluindo seus sentimentos, suas crenças, valores e atitudes.

Nas próximas eleições, escolha bem seu candidato.