Posts com a Tag ‘Kusmi Tea’

Tous les jours sur mon chemin!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Sim, eu me rendi: uso sapatilha de ballet Repetto (eu e a Amy)

Poderia ser S√£o Paulo…
Calhou de ser Paris ūüėČ
E eu recomendo.
Todo mundo tem direito a um sab√°tico como o meu.

Hoje tive prova na Sorbonne.
Não estudei, não fui bem e nem aí.
Eu quero exatamente isso da vida.
Uma certa displicência.

Caminhar sem rumo e sem pressa.
Falar com o padeiro, com o mo√ßo com a camisa do Brasil no metr√ī.
Fingir que n√£o ouvi o oulal√°.
Sonhar que posso comprar um presente incrível para cada um dos meus queridos no Brasil e no mundo.

Ontem, uma hora ao telefone com minha amiga (louca) Juliana.
Veja como os santos avisam.
Eu estava com uma super dor de nariz.
Isso mesmo: dor de nariz.
N√£o sei se √© p√≥lem…
Sei que eu n√£o estou gripada, n√£o tenho muco e meu grande “nez” de exato 0,8 cm estava dolorido e n√£o me deixou dormir.
Ju ligou, criei coragem, vesti a roupa, caminhei por uma hora procurando uma farm√°cia aberta.
Batemos muito papo por telefone, tomei minha pen√ļltima sleeping pill e desmaiei.
(todos os bares e cafés estavam abertos e as 5 farmácias do bairro, não)

Hoje de manh√£, prova.
Depois, com uma colega no metr√ī, decidimos: parada nas Galeries Lafayette.
Ganhamos Havaianas de 30 e tantos euros do meu novo amigo Rodrigo.
Fiz uma mangueirense louca.
Sola rosa, tira verde, bandeirinha do Brasil na tira do pé direito, bandeirinha da França na tira do pé esquerdo.

Mangueira

Ai meu carnaval que nasceu assim, neg√£o por fora, colorido por dentro.

Perdi minha amiga no meio da soldes d’√©t√©…
Fui parar na Printemps.
Minha sacola arrebentou, me deram uma de grife (pode?).
Fui ver minha nota fiscal… Esqueceram de cobrar meu Kusmi Tea.
Cobraram apenas o Guia Michelin e um presentinho.
E agora?
Volto como louca amanh√£ para fazer eles me cobrarem os 20 euros do ch√°?
Ou deixo para l√°?

Saí pela rua.
Pergunto onde é o correio.
Respondem. Entendo. Acho.
Compro um envelope de 3 euros.
Despacho o presentinho – todo mundo t√£o gentil.

Procuro o metr√ī.
A guarda p√°ra de multar para pensar.
Ela n√£o sabe.
Mas descobre – pelo r√°dio.
Ela me leva até lá.
Na porta, desodorante Nívea de graça.
Chega a ser piada pronta – desodorante gr√°tis no metr√ī de Paris.
Lenços de seda em promoção.
Compro um de presente: cheio de gatinhos surrealistas.

Prince Wladimir

Casa.

Salada de cenoura e milho.
Croque-Monsieur veggie.
Segundo a Enciclop√©dia Larousse Gastronomique, o primeiro Croque-Monsieur foi servido no ver√£o de 1910, num bar ingl√™s chamado Le Trou dans le Mur, que ficava no Boulevard des Capucines, em Paris. De inspira√ß√£o anglo-sax√īnica, o Croque-Monsieur √© uma adapta√ß√£o (melhorada) do Welsh Rarebit ingl√™s.

Meu ch√° escolhido: Prince Wladimir
Thés de chine aux agrumes, à la vanille et aux épices
Mistura de chás pretos da China aromatizado com essências naturais de cítricos, baunilha e especiarias.
Mélange unique, le thé Prince Wladimir fut créé par Pavel Kousmichoff en 1888 pour fêter les 900 ans de la fondation de la Sainte Russie par Wladimir le Grand.
Criado em 1888 para festejar os 900 anos da funda√ß√£o da R√ļssia.
“8” n√£o √© o s√≠mbolo do infinito?

Descubro que a conex√£o do vizinho est√° liberada.
Hoje tenho internet no studio.
Merci, mon voisin.

Merci la vie.

Kusmi & me

s√°bado, 29 de maio de 2010

Eu sei porque os cariocas s√£o mais bonitos – os velhos, as novas, os cachorros, todos.
Porque eles batem perna, tomam sol e não vêem a vida de um escritório cheio de gadgets.
Eles vivem o mundo l√° fora.

Light imprisoned in the belly of the whale

Eu venho e caminho, caminho sem medo.
E na minha vida de lá é carro, telefone, computador.
E aí eu lembro a vida de cá.
Por isso viajo.
Para experimentar outras vidas.

Ontem fiquei sabendo que Heleninha foi embora.
Foi um passarinho feliz.
Viva Heleninha.

Love and Hate

Recomendo aqui no Rio a exposição da alemã Rebecca Horn.
Minhas instala√ß√Ķes escolhidas est√£o em foto para voc√™ que n√£o p√īde vir.

E descobri hoje o néctar dos deuses. Bebo a você.

kusmi, my luv

kusmi I luv

Kusmi Ch√° (ou Kusmi-Tea) √© uma marca de ch√° cuja sede fica em Paris. A empresa, que produz os ch√°s de estilo russo foi criada por Pavel Michailovitch Kousmichoff (–ü–į–≤–Ķ–Ľ –ú–ł—Ö–į–Ļ–Ľ–ĺ–≤–ł—á –ö—É–∑—Ć–ľ–ł—á—Ď–≤, 1840-1908) em 1867 em St. Petersburgo, R√ļssia.

Filho mais velho de uma fam√≠lia de camponeses, Pavel Michailovitch Kousmichoff saiu de casa com 14 anos para procurar um emprego em S√£o Petersburgo.¬†L√° ele encontrou trabalho como entregador de um comerciante de ch√°.¬†O gerente da loja logo percebeu que o menino tinha um enorme potencial e lhe ensinou a arte da mistura dos ch√°s.¬†Pavel casou com Alexandra, a filha de um comerciante de papel e seu empregador lhe deu de presente de casamento uma casa de ch√°.¬†A Kousmichoff teahouse foi inaugurada em 1867.¬†Alexandra teve seis filhos. Para Elisabeth (nascida em 1880) foi criada uma mistura especial que logo tornou-se o ch√° do czar, “buqu√™ de flores”.¬†Em 1901 Pavel j√° tinha 11 casas de ch√° e a Kousmichoff era a terceira maior da R√ļssia.

Em 1907, ele enviou o filho mais velho para Londres para aprender sobre o ch√°. Viatcheslav come√ßou abrindo filial brit√Ęnica da empresa, a PM¬†Kousmichoff & Sons.¬†A cidade era a capital mundial do com√©rcio de ch√°, o que ajudou Viatcheslav a se tornar um mestre no mix de ch√°s.¬†Viatcheslav retornou √† R√ļssia e, depois da morte de seu pai em 1908, assumiu os neg√≥cios da fam√≠lia.¬†Ele abriu ¬†51 casas de ch√° em todas as grandes cidades da R√ļssia.

1917 Um novo começo em Paris

Em 1916, vendo as ruas de São Petersburgo agitadas (e com medo de uma revolução), Viatcheslav transferiu parte de sua fortuna para o escritório da companhia em Londres e, em 1917, abriu uma loja em Paris, a Maison Kusmi-Thé.
Enquanto ele passava a maior parte de seu tempo em Paris, sua família permaneceu em São Petersburgo e nas vésperas da Revolução, ele decidiu enviar mulher e filhos para passar o verão na região do Cáucaso.
Com o estouro da revolução, eles fugiram para Constantinopla e, em seguida, para Paris em 1920. Em Paris, Viatcheslav e sua esposa, viveu a vida dos ricos, com seus três filhos.
A filha Vera participou do Conservatório de Paris onde conheceu Rachmaninov e se tornou uma famosa cantora de ópera.

A família prosperou durante o período entre guerras, abrindo escritórios em Nova York, Hamburgo e Constantinopla.
Viatcheslav Kousmichoff morreu logo após a Segunda Guerra Mundial, em 1946, deixando seu filho de Constantin para assumir um negócio de família muito enfraquecido por anos de guerra.
Mas Constantin n√£o tinha o mesmo tino comercial.
À beira da falência em 1972, ele vendeu o negócio por uma ninharia.
O n√©ctar dos deuses √© o “almond green tea”. Fui para o c√©u e voltei mil vezes.

Anote o site: www.kusmitea.com

E veja que bacana:

TEA PROFILE PREPARATION
Origin: China
Time of day: afternoon
Main flavor:
gourmand with herbaceous note
Ideal water temperature: 70¬įC
Quantity needed: 3g
Brewing time:3-4 min

Para n√£o esquecer: PASSO 6

Were entirely ready to have God remove all these defects of ¬†character. (Aten√ß√£o: Deus n√£o atua em corpora√ß√Ķes e n√£o faz hora extra!)