Posts com a Tag ‘Mark Zuckerberg’

Tacones lejanos

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Foi com esses que fui...

Um almoço grátis e um papo com um amigo espanhol que veio se aventurar por aqui e ficou.
Uma parada estratégica na Sak’s e dois novos pisantes de sola vermelha.
Uma corrida até Times Square e o filme sobre o Facebook.

“The Social Network” segue a história contada em revistas…
O menino Mark Zuckerberg (26 anos), que conheci pessoalmente no ano passado, parece o autista que pensei que fosse. Até a metade do filme, não faz uma triste figura como pintam as críticas. Ele dá o cano nos gostosões de Harvard e desconfio que 90% da população acha isso ótimo…
É quando ele engana o amigo e financiador do que viria a ser o Facebook que a imagem de nerd-daltônico dá lugar à imagem de mau caráter, manipulador e bandido sem moral.
Sendo o amigo traído um brasileiro, imagino que a coisa vá ficar quente na estréia em Sampa.

O filme é bom, a história não é nova.
O que me bateu é que saí com a sensação de “Vale a pena ver de novo”.
Acho que já conheci e já trabalhei com gente que tem essa mesma mentalidade e, certamente, menos sorte e talento.
Não é algo para se gabar.

Filme visto, fiquei com vontade de comprar o livro The Accidental Billionaires do Ben Mezrich…

Bastidores da criação de empresas de tecnologia turbinados com ficção bem ao estilo americano.

o salão do Daniel

Engraçado é notar que os tradicionais excluídos, quando incluídos, costumam virar monstrengões.
De perto, quase ninguém é do bem?
Recordo-me de um coordenador que tive em minha equipe.
Um baixote com calvície no estágio 2 (quando não dá mais para disfarçar)…
Ele daria a mãe para ser CEO de qualquer coisa, até da cooperativa de engraxates do rio Guaíba. Sorte do mundo que o menino só tem ambição e nenhum talento.

Depois de ficar com o filme sobre os nerds do mundo digital rodando em minha cabeça, uma aventura gastronômica daquelas.
Daniel Bouloud com “D” maiúsculo!
6 pratos harmonizados com vinho.
Comida que não acaba mais.
Blazer é obrigatório para homens e, como bons franceses em NYC, o moço que não for a caráter pode pegar um emprestado na chapelaria e fazer bonito no salão principal.
Além de comer bem, abusei do meu francês!

Foi um dia de extravagâncias.
Louboutins, filmes, 3 estrelas do Guia Michelin…
E a sexta-feira só começa hoje.

O próximo filme da semana será “Inside Job“.
Badaladíssimo por aqui, ele conta os bastidores de 2008.
O trailler tem entrevistas hilárias com essa turma nerd (aussi!) do mercado financeiro que quebrou a banca nos Estados Unidos.
Para esse, preciso de algo além de sapatos de 3 dígitos.

Quem disse que bebida, viagem, compras e outras bobagens não funcionam?

Arrastando a sandália com veneno entre os dentes

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

I feel sorry for people who don’t drink. When they wake up in the morning, that’s as good as they’re going to feel all day. (Frank Sinatra)

Bananada em liquidação

Ter que conviver com as indefinições dos outros é um aprendizado e tanto.
Eu enchi minha semana com pequenas reuniões só para mudar de ares.
Estou esperando pelo próximo lance do jogo de xadrez.
Há quem diga que é ótimo.
Ótimo até chegar a primeira conta. Só para fazer back up de 1/3 do meu Mac morto, 900 reais.
(…)

Enquanto sossego, fico lendo o que se passa por aí…
* O bad-bobo-boy Neymar derrubou o técnico.
Ele deve estar comemorando sem saber que é o próximo da lista.
* O vexame na Stock Car.
E a carona que uns pegam nas decisões de outros para justificarem um investimento ruim.
* O governo argentino apresentou nesta terça-feira denúncia contra o Clarín e o La Nación por homicídio e cumplicidade em crimes de sequestro e tortura cometidos durante o governo militar (1976-83).
A ditadura é uma caixa de respostas para a corrupção que herdamos, não é?
* Barraram a Paris em Toquio. Ela ficou “desapontada”.
* A “jornalista” que estréia coluna para falar do Copom e nao conta que o importante mesmo foi quando ela garfou o sócio do Armínio Fraga e se aposentou…
* O brasileiro que foi o primeiro investidor no então desconhecido Facebook e que tomou um tombo do CEO Mark Zuckerberg.

Interessante a sociedade em que vivemos.
A das aparências em detrimento da coerência.

É um exercício interessante andar na contramão.
Sem perder a ternura.

Temo a tua natureza; ela está demasiado cheia do leite da ternura humana para que seja capaz de seguir o caminho mais curto. (William Shakespeare)

Nossos guias

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Foi-se o tempo em que o “Homem de 6 milhões de dólares” causava comoção.
Hoje o que balança corações é o “moleque de 6 bilhões e meio de dólares”.

leeExplico: Steve Austin sofreu um terrível acidente durante o teste de uma aeronave da Nasa. O Office of Scientific Intelligence dos Estados Unidos decidiu fazer implantes biônicos no corpo do astronauta. Em troca, Austin foi “obrigado” a enfrentar criminosos. A super série de TV foi exibida entre 1974 e 1978 e protagonizada pelo ator Lee Majors (ex-marido de Farrah Fawcett, o moço que colocou a loura no mapa das estrelas).
Segundo o Consumer Price Index, principal referência para se calcular a inflação norte-americana, hoje o homem de 6 milhões de dólares custaria U$21.967.545,64 , quase 22 milhões de dólares. Bem menos do que vale a empresa de Mark Zuckerberg, o chamado CEO do Facebook.

O Facebook foi lançado em 4 de fevereiro de 2004. Inicialmente, era restrito aos estudantes do Harvard College. Depois, foi expandido ao Massachusetts Institute of Technology, à Boston University, ao Boston College. E aí a rede foi aberto para o público e virou o que virou.
Três colegas de faculdade, fundadores do serviço ConnectU, há muito tempo alegam que Zuckerberg roubou a idéia deles e rola um processo na Corte Distrital Federal de Boston. Diz a imprensa que Zuckerberg pode ter simplesmente seguido a tradição de Harvard. mark-zuckerberg2Afinal, há trinta anos, dois jovens alunos – Bill Gates e Paul G. Allen, copiaram uma versão da linguagem de programação BASIC, desenvolvida por dois professores, para dar o pontapé inicial na empresa que viria a se tornar a mais poderosa do setor de softwares do mundo, a Microsoft. Foi-se o tempo do ditado “ladrão que rouba de ladrão”… O ditado hoje é nerd que rouba a idéia certa fica… bilionário.
O menino Zuckerberg entrou na lista dos bilionários da Forbes em 2008. Na época, sua fortuna era estimada em 1,5 bilhão. Este ano, ele ficou de fora. Mas não deve ter muito menos de um bilhão na conta…

O fato é que o menino esteve no Brasil. E foi uma comoção. Comentário geral. Toda a imprensa noticiando. Blogueiros em êxtase. Jornalistas… Bem, jornalistas – no evento que acompanhei ontem – não queriam saber nada além de “como ficar bilionário”. E uma babação geral.
Sabe o que vi? Um menino de 25 anos, cara de americano, e só. Não vi “o” cara. Não tive “a” iluminação.
Minha sensação é de ter conhecido aquele cara de quem todos falam, mas que poucos realmente conhecem.
O cara que ganhou na MEGA-SENA sozinho.

E só.