Posts com a Tag ‘números’

O sim e o não

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Hoje estou de má vontade.
Pego a HP12C e patino em juros compostos, em prazos diferentes, taxas.
(…)
Nada dá certo, nada acontece.
Rodo, rodo, rodo e perco tempo.
Birra pura de ter que fazer algo que simplesmente não gosto.

E não é que é complicado entrar na fôrma (sic)?
Quando pequenos, dói ter que dormir.
Ter que fechar os olhos quando o mundo acordado é de colo, de carinho, de beijo e de leite.
O tempo passa rápido e, com uma conversinha mole, somos arrancados do seio quente e levados para a escola.

Aprender a ler, começar a escrever, brincar com números.
Para mim, que aprendi a tabuada na base do chicote (literalmente, embora as chicotadas fossem no chão), os números sempre foram em preto e branco.
Eu preferira decorar sílabas, acertar os acentos das oxítonas. E a concordância?
Vira e mexe, eu imaginava como seria a escrita se houvesse uma “discordância”.
A gente gostamos? Vocês sois coloridos sóis?
Inventei até as “propo”-paroxítonas, as proparoxítonas superpoderosas.
Nas “propos” a antepenúltima sílaba é tônica com mais força: êxodo, esdrúxula, maiúscula!

Aí vieram os números:
– você é o número 4 na chamada;
– pegue uma senha e aguarde na fila. A minha? Número 3.458!
– em que lugar você ficou no vestibular? 57
– quantos quilos ela perdeu? 12
– qual é meu saldo no banco? R$13,39
– e o valor da mensalidade? R$1.000,00

Comigo não adiantou ler o livro preferido do menino Covas, candidato a prefeito de SP.
“O homem que calculava” perdeu feio para “Um cão de lata ao rabo”, “Ayres e Vergueiro”, “Letra Vencida”, “Metafísica das rosas” e tantos outros contos do Machado.

O fato, amigos, é que hoje, infelizmente, Machado não me salva.

Dúvidas digitais de um canário

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010
Foto criada em 2010-01-30 às 17.57

!

– No mundo, as redes sociais agregam 55 milhões de usuários;

52% já interagiram com marcas nesses meios.

– 80% confiam em recomendações de compras feitas pelos amigos;

– de maio a junho de 2009, a audiência do Facebook no Brasil cresceu 40%

Orkut: 13 milhões de usuários no Brasil

36% dos internautas brasileiros sobem vídeos no YouTube. O Brasil é a segunda maior audiência do mundo;

– Blogs: Brasil é o quarto país do mundo onde mais se lê blogs. 2,6 milhões de brasileiros atualizam os próprios blogs diariamente;

Twitter: cresceu 1.832% em 2008. E SP é a quarta cidade do mundo em uso (Fonte: Agência Click)

Foto criada em 2010-01-30 às 17.56 #4
Cara deslavada

Olha, sou suspeitíssima.

Amo o poder que a rede tem de conectar pessoas que não têm recursos. Amo a transformação que a internet provocou na vida de todos.
Adoro ficar em casa descalça e não sair faça chuva ou faça sol.
Adoro comer só quando dá fome e comidinha caseira.
E com internet…
Adoro sair muito de vez em quando, e voltar muuuuito cedo – tipo 7am.
E com internet…

Mas que esse bicho eletrônico (inclua video games, TV e outras geringonças) está nos escravizando e está atrapalhando as relações, está.

E agora?

Só posso dizer uma coisa – e baseada em experiência pessoal, portanto não é regra geral – eu vivo disso, amo a confusão das redes sociais, tenho dormido cada vez menos (mas sou assim) e tenho conhecido muita gente interessante. Mas tenho (como em várias outras questões) exagerado na dose.

E agora?

Hoje vovó fez anos. 87.
Disse que já está na hora de ir embora.
Eu sugeri que ela tomasse um porre e deixasse todos os convidados horrorizados.CANARIO
Ela gostou da idéia – é muito careta e muito ligada essa vovó – e disse que ia tomar as Smirnoff Ice que comprou para as netas mais novas (!) tomarem no domingão.
E me contou que estava triste: a gaiola caiu no chão e o canário de pé torto fugiu.
Tem um dia que não aparece.
Tem alpiste e água, mas ele não volta.
Ela, tadinha, machucou as mãos ao arrumar a gaiola.
Disse que um amigo/amiga canário andava visitando a ave. Ficava lá, ao lado da gaiola por horas.
Repetiu que estava triste.
Intuiu que o passarinho deve morrer em breve – pois não sabe viver solto.
Mas vai morrer feliz e bem acompanhado.