Posts com a Tag ‘Obama’

Europa, pindaíba e Pindorama

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Foi na Grécia antiga que surgiu uma teoria curiosa.
Segundo ela, nosso corpo é constituído dos humores, quatro líquidos essenciais: sangue, bílis negra, fleuma e bílis amarela.
Hipócrates, justamente o pai da medicina moderna, derrapou na curva e comprou a idéia de que distúrbios da saúde seriam decorrentes do desequilíbrio entre os humores.
Galeno classificou os temperamentos de acordo com a predominância de tais líquidos.
Fleumático seria o indivíduo lento e apático; colérico, o enfurecido; melancólico é autoexplicativo.
Essa teoria seguiu firme no arreio até o século XVII.
De lá para cá, o homem continuou ateando fogo em moças bonitas; destruindo cidades; comprando muito gato por lebre no churrasquinho de porta de estádio; pirando na batatinha (até o tubérculo minguar no mercado) – e, dizem por aí, pisando no tomate e, quando sobrava tempo e a Rússia importunava, na Lua.
Se uma pulga acabou com um terço da população da Europa no século XIV, nós é que não vamos discutir se as tais Guerras foram “Mundiais” mesmo sabendo que, do lado de cá do Oceano, a pancadaria ficou restrita a cafés e botecos de frequência duvidosa.
O fato, meu senhor, é que eu ainda duvido dos tais efeitos (ou defeitos) da globalização, mas, para não ficar de fora, recorro de tempos em tempos aos intelectuais para entender qual é a bagunça da vez que ameaça as tangas dos nossos índios.

“Onde fica a Grécia?”. “Na Pindaíba.” Isso. Grécia, capital Pindaíba! Aliás, o capital tá na pindaíba! E diz que Atenas virou Apenas!
E os gregos foram pedir ajuda a Zeus. E ele mandou pro raio que os parta. Rarará! E esta: “Bill Gates quer que o Brasil dê dinheiro para os países pobres”.
Espanha, Portugal e Itália?! Eu não vou dar dinheiro pro Berlusconi gastar tudo em quenga.
(…)
Apolo vira gogoboy da The Week. Medusa transforma pessoas em pedras e vai vender na Cracolândia. Dionísio vende seus teatros pra Universal.
E uma turma de rancorosos e hipócritas quer que Aquiles trate seu calcanhar pelo SUS.
Tudo por Atenas R$ 1,99!
Ah, e Sófocles pegou um bico na Globo. Colaborar com “Malhação”! Rarará! E a Grécia é o berço da democracia: aí o Papandreou teve uma recaída democrática e ia consultar o povo sobre o pacote europeu e o G20 democrático quase mata o cara! Referendo? Nem refudendo!

Macaco Simão, Folha de S.Paulo, 05/11/2011
http://www2.uol.com.br/josesimao/colunafolha.htm

Não adianta negar: no Brasil, tudo acaba em piada. Seja de português ou não.
Grécia, Berlusconi, Obama, crise… O que vier a gente traça.
E pergunto aos pesquisadores de plantão: de onde veio esse humor todo? No caso acima, veio da Grécia…
Rimos das desgraças alheias, rimos das nossas, colocamos em público tudo o que é privado.
E assim somos.
Jamais me esquecerei da missa no interior: eu estava com 11 anos e prestava atenção na preleção sobre adultério.
Depois de explicar o que dizia a Bíblia, o que falaram os apóstolos, Jesus e toda a turma do evangelho, o padre quis dar um exemplo.
E apontou para um casal.
“Todo mundo sabe que a fulana tem um caso com o vizinho. E o fulano está lá, casado, cumprindo com as obrigações de marido, corno manso mesmo”.
Fazer o quê a não ser rir?
Foi a preleção mais honesta da paróquia – e o corno manso, confirmando a piada, mais uma vez pagou a conta.
O nome do fulano?
Papandreou.

Tricô ou croché?

terça-feira, 31 de maio de 2011

Existem algumas épocas em que a vida lá fora não deixa tempo para os escritos.
E são tantas coisas acontecendo, não?
Ratko Mladic chegando em Haia (se fosse inimigo de Obama, o chefe da democracia, não teria direito a julgamento…).

Ministro brasileiro ganhando milhões e não se explicando.

E eu com meu pequeno mundo, cheio de coisinhas tão pequenas e inhas.
Faz frio aqui e eu gosto muito.
Coloco roupas largas e quentes.
Ganho presente de avó.
Visita relâmpago de mãe.
Almoço com amigos sumidos.
Leitura de textos de conhecidos.
Piscina com fumaça subindo pelas paredes.

Ficar horrorizada com um país que torna-se rico e que ainda aceita, calado, políticos bandidos?
Ah… O mundo tem mais do que isso: um homem acusado de genocídio durante o cerco de 43 meses a Sarajevo e algoz do massacre de 8 mil muçulmanos em Srebrenica.
Para quê passeatas?
Tudo vira um grande julgamento pela televisão, até que o réu caia de AVC, infarto ou outra doença banal que acomete democraticamente velhos ou bandidos, mulheres ou assassinos.
Também se pode matar, sem esperar julgamento, e lançar o corpo ao mar…
Ah…
Eu não entendo nada.
Deixem-me aqui com minhas meias de lã e meus problemas de contas de luz, de pintura nova, de gás de cozinha.

Para Hamurabi

segunda-feira, 2 de maio de 2011

I mourn the loss of thousands of precious lives, but I will not rejoice in the death of one, not even an enemy (Martin Luther King, Jr)

No dia em que matam um cara do outro lado do mundo e as pessoas saem em bandos, nas ruas, para comemorar (?), penso comigo e falo baixo: existem mesmo mocinhos e bandidos?
Sou daquele tipo de gente que acredita em julgamento justo e prisão para quem de direito.
Sou dos que não adotam a Lei de Talião.
Que não comemoram um assassinato.

Em certos dias como os de hoje, não abro internet.
Passei por aqui rapidamente só para deixar meu protesto (quase) silencioso.

E para dizer que prometo continuar acreditando que o mundo pode ser mais ameno.
Que as pessoas invadirão ruas para plantar flores.
E que as convenções sociais serão para tornar a vida mais amena
E não para as pessoas se enforcarem em obrigações toscas ou justificarem exploracão dos outros.
Os homens serão mais próximos e apenas as piadas, infames.

Até amanhã.

YES, WE GET ARREST

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

 

Tá na internet: o artista Shepard Fairey, criador do poster Hope para a campanha presidencial de Barack Obama, foi preso na última sexta-feira (6), acusado de fazer pichações em propriedades públicas de Chicago (como a  linha de trem que passa pelo rio Charles, perto da Universidade de Boston). O artista foi liberado horas depois da prisão, após pagar fiança. Fairey já foi detido várias vezes sob a mesma acusação…obama

Se fosse no Brasil, o fofo ia ficar uns quarenta dias preso e iria ser solto com piolho e outras cositas…

blagojevichHoje, enquanto corria meus sete quilômetros protocolares, assisti ao David Letterman que, no dia 03 de fevereiro, entrevistou o Rod Blagojevich, ex-governandor de Ilinois que tentou vender a vaga deixada por Barak Obama no senado americano. Como vocês já sabem, depois de afirmar que não iria renunciar nem ao menos pedir desculpas pela falcatrua, o cara sofreu impeachment – e nunca mais poderá se candidatar pelo Estado de Ilinois – e responde a processo criminal.

Pois bem: há semanas David vem pichando o cara. Mas pegando super, híper pesado. E quase parei de correr para acompanhar com calma o grande encontro. Do começo do programa até a entrevista, David Letterman tripudiou do cara sem o menor pudor – foram dois blocos só de piadas em cima dele.  Finalmente, ele vai ao palco e David dispara: “O que vc está fazendo aqui?”. A resposta: “Eu sempre quis vir ao seu show, pelo menos o Impeachment me permitiu isso” e por aí foi. David fez perguntas diretas, duras e não deixou o cara relaxar. O ex-governador pagou o maior mico. Não soube responder… Enfim, foi realmente um Late Show.

Não curto a cultura americana, demorei 3 décadas para pisar em solo dos gringos –  fui para ver o declínio de Bush in loco – mas tenho o maior respeito pela imprensa deles.  Infelizmente não consigo imaginar um Jô, uma Marília Gabriela, uma Ana Maria Braga (hahaha) fazendo isso. Aqui, a memória é curta e, certo ou errado, quem tem grana, manda… Nossos jornalistas gostam é de sair na Caras.

Para assistir na íntegra:
http://lateshow.cbs.com/latenight/lateshow/dave_tv/highlights/index/php/bigshowhighlight.phtml

E vamos ao terceiro assunto do dia: “ene”. Isso mesmo. “Ene”.

Quem é o pai ou a mãe que tem coragem de botar o “ene” no nome dos filhos? Flaviene, Luciene… Isso é muito brega. É jeca tatu demais.  Se vc se chama “ene”, pode deixar recado indignado. Parece que tem um N mal colocado… Acho que “ene” e pior que “ely” – Franciely, Lucyely… Melhor chamar Flávia, Luciana. Que N ridículo…

Enfim, cada um com suas idiossincrasias…

Sutilezas

domingo, 8 de fevereiro de 2009
Caiol Guatelli/Folha Imagem

Caio Guatelli/Folha Imagem

A frase do dia está na Monica Bergamo de hoje.
Quatro patetas, mulheres/namoradas de investidores financeiros quebrados contam o que mudou em suas vidas. A frase escolhida é da primeira moça da foto, a de vestido branco.

FOLHA – Você conhece a “miniturma do polo”? 
MARIANA
 – 90% do mercado financeiro faz polo. Na crise, meu marido não jogou nenhuma vez. Custa uma fortuna. Tem que ter sete cavalos. Então, nessas sutilezas é que você sente a crise.

 

E para o blog não ficar ácido demais – que nem eu estou aguentando -, vejam o blog mais pop do momento.

barataobamaavi_obarata-o-bamapinkecerebro

Viste a barata, é só clicar no link indicado do lado direito do meu blog.