Posts com a Tag ‘piscina’

Bipolaridade

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Uniforme

Há algum tempo foram-se os anéis.

Os últimos dias têm sido de um futuro incrível com sol, academia e novas viagens  – fiquei enferrujada neste quesito. Travada no presente.

Intervalos de “e agora, José?”.

Revisão de arquivos da memória – grande parte deles preenchidos com participações especiais e que não deveriam ser memoráveis.

Sozinha no meu quarto de hotel, penso em como começar – sabendo que já começou, a despeito do meu planejamento tardio.

As questões de grana nunca afetam meus planos. Sejam eles de morar em Paris ou de me acabar em algum restaurante.

E agora o sonho é fácil. Retomar as rédeas do pangaré.

A casa, os gatos, cachorro, a vida.

Eu sempre estive pronta para transformar o esquema.

Isto não me aflige.

Me aflige apenas a divisão, a negociação que, a partir de agora, deverá ser feita. Hoje e sempre.

Ainda sou dona do meu nariz, mas nunca fui do dos outros.

Paciência, Ana.

Isto eu não tenho.

Então sossega, mas como?

Lá na frente eu vejo até mais gente.

Hoje só esta impessoalidade com assinatura Blue Tree.

Lights on

quarta-feira, 6 de julho de 2011

ciesta na rede ou "aclimatação relâmpago"

Enquanto São Paulo trinca no frio, o inverno de chuva e calor deu brecha para um dia com sol, passeio na praia e um olá ao comércio local com direito a picolé de banana.
Desde segunda estou matriculada na top academia local.
É uma delícia mergulhar numa cultura diferente da usual. E numa piscina poderosa!
Mulheres com muitos filhos, elite endinheirada, professores que admiram as novas técnicas de São Paulo (e não sabem que são melhores do que muita gente de lá)…
Gente que não te pergunta onde você trabalha.
(…)
Mocinhas lindas e loiras de farmácia, café da manhã na padoca?
Nada disso, na lanchonete dos chiques e famosos.
E os carros?
Parece um clip de rap americano.
Gigantes, pretos ou brancos, seguranças…
Ao sermos ofuscados pelas estrelas, ré e POW!
Um taxi ganhou um reparo no parachoque.
E ficou intrigado com o pedido de três orçamentos.
Passada a raiva e o momento arretado, já enviou dois. O mais barato de 120 pratas.
Conclusão: a academia é mais cara, a batida, não.

E a vida do lado deste trópico tem um tempo diferente.
Acho que começo a entender que a tal da pressa…
Bem, deixa para lá.