Posts com a Tag ‘Rebecca Horn’

Enquanto isso, na Sala de Justiça…

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Achei as chaves!

A Coréia do Norte topa negociar e nem todo mundo da imprensa deu bola.
O jornalista inglês que saiu são e salvo do Irã? Opa, 13 pessoas morreram para tirá-lo da zona de guerra civil.
Mas o gringo foi salvo.
E esta é a manchete.

Mundo virado.
Quando ouço mães comentando que o filho nasceu antes da hora, que não tiveram leite…
Sei lá.

O mundo anda mesmo chato, previsível.
Poesia, gritos, quadros tortos na parede.
Por favor, uma Rebecca Horn, um Hélio Oiticica.
Te fazer sair de esquadro nem que seja só um pouquinho.
Marina Abramovic.

Hoje me vesti de onça e fui tomar sorvete de chá verde.
Procurei locais com ar condicionado.
Fiz escalda pés.
Pensei num grande jardim que poderá virar jaboticaba.

Andei arrastando sandálias e pensando:
foi uma idéia supimpa jogar tudo para o alto.

Kusmi & me

sábado, 29 de maio de 2010

Eu sei porque os cariocas são mais bonitos – os velhos, as novas, os cachorros, todos.
Porque eles batem perna, tomam sol e não vêem a vida de um escritório cheio de gadgets.
Eles vivem o mundo lá fora.

Light imprisoned in the belly of the whale

Eu venho e caminho, caminho sem medo.
E na minha vida de lá é carro, telefone, computador.
E aí eu lembro a vida de cá.
Por isso viajo.
Para experimentar outras vidas.

Ontem fiquei sabendo que Heleninha foi embora.
Foi um passarinho feliz.
Viva Heleninha.

Love and Hate

Recomendo aqui no Rio a exposição da alemã Rebecca Horn.
Minhas instalações escolhidas estão em foto para você que não pôde vir.

E descobri hoje o néctar dos deuses. Bebo a você.

kusmi, my luv

kusmi I luv

Kusmi Chá (ou Kusmi-Tea) é uma marca de chá cuja sede fica em Paris. A empresa, que produz os chás de estilo russo foi criada por Pavel Michailovitch Kousmichoff (Павел Михайлович Кузьмичёв, 1840-1908) em 1867 em St. Petersburgo, Rússia.

Filho mais velho de uma família de camponeses, Pavel Michailovitch Kousmichoff saiu de casa com 14 anos para procurar um emprego em São Petersburgo. Lá ele encontrou trabalho como entregador de um comerciante de chá. O gerente da loja logo percebeu que o menino tinha um enorme potencial e lhe ensinou a arte da mistura dos chás. Pavel casou com Alexandra, a filha de um comerciante de papel e seu empregador lhe deu de presente de casamento uma casa de chá. A Kousmichoff teahouse foi inaugurada em 1867. Alexandra teve seis filhos. Para Elisabeth (nascida em 1880) foi criada uma mistura especial que logo tornou-se o chá do czar, “buquê de flores”. Em 1901 Pavel já tinha 11 casas de chá e a Kousmichoff era a terceira maior da Rússia.

Em 1907, ele enviou o filho mais velho para Londres para aprender sobre o chá. Viatcheslav começou abrindo filial britânica da empresa, a PM Kousmichoff & Sons. A cidade era a capital mundial do comércio de chá, o que ajudou Viatcheslav a se tornar um mestre no mix de chás. Viatcheslav retornou à Rússia e, depois da morte de seu pai em 1908, assumiu os negócios da família. Ele abriu  51 casas de chá em todas as grandes cidades da Rússia.

1917 Um novo começo em Paris

Em 1916, vendo as ruas de São Petersburgo agitadas (e com medo de uma revolução), Viatcheslav transferiu parte de sua fortuna para o escritório da companhia em Londres e, em 1917, abriu uma loja em Paris, a Maison Kusmi-Thé.
Enquanto ele passava a maior parte de seu tempo em Paris, sua família permaneceu em São Petersburgo e nas vésperas da Revolução, ele decidiu enviar mulher e filhos para passar o verão na região do Cáucaso.
Com o estouro da revolução, eles fugiram para Constantinopla e, em seguida, para Paris em 1920. Em Paris, Viatcheslav e sua esposa, viveu a vida dos ricos, com seus três filhos.
A filha Vera participou do Conservatório de Paris onde conheceu Rachmaninov e se tornou uma famosa cantora de ópera.

A família prosperou durante o período entre guerras, abrindo escritórios em Nova York, Hamburgo e Constantinopla.
Viatcheslav Kousmichoff morreu logo após a Segunda Guerra Mundial, em 1946, deixando seu filho de Constantin para assumir um negócio de família muito enfraquecido por anos de guerra.
Mas Constantin não tinha o mesmo tino comercial.
À beira da falência em 1972, ele vendeu o negócio por uma ninharia.
O néctar dos deuses é o “almond green tea”. Fui para o céu e voltei mil vezes.

Anote o site: www.kusmitea.com

E veja que bacana:

TEA PROFILE PREPARATION
Origin: China
Time of day: afternoon
Main flavor:
gourmand with herbaceous note
Ideal water temperature: 70°C
Quantity needed: 3g
Brewing time:3-4 min

Para não esquecer: PASSO 6

Were entirely ready to have God remove all these defects of  character. (Atenção: Deus não atua em corporações e não faz hora extra!)