Posts com a Tag ‘Roger Abdelmassih’

Mundo vasto mundo

terça-feira, 17 de maio de 2011

 

A história mais terrível do mundo contemporâneo é o estupro.

O estereótipo da guerra de gêneros, a força que um homem tem de fato e exerce na esperança de não ser denunciado.
Strauss-Kahn é ele mesmo um estereótipo: francês arrogante, executivo internacional, adúltero casado com uma ricaça, e em vias de se tornar presidente de um país falido e que – em pleno século XXI – defende a xenofobia e desrespeita as religiões.
Na folha corrida do francês encarcerado em Nova York, 3 casos contra mulheres.
Dois de assédio e um romance extra-conjugal que não foi apenas flores.
No Brasil (ou escondido no Líbano), outro caso icônico: Roger Abdelmassih, o médico e monstro.
Além de assediar, estuprar e fazer o diabo com a clientela, ele criou centenas, milhares de frankensteins: crianças feitas de misturas de material genético. Duas mães, um pai diferente do que seria o biológico, a mãe que não a biológica…

Eu simplesmente não consigo entender aqueles que são guiados pelo poder sem limites.
Os que usam o falo como objeto de dominação.

E acho engraçado estar cercada de novos homens que são mais femininos do que mulheres.
Não, não falo de homossexualidade.
Falo dos homens do século XXI: cheios de medos, inseguranças, esperando ser conquistados, dominados até.

Tenho pensado seriamente se a revolução dos 70 não passou dos limites.
Foi uma experimentação, uma loucura tamanha que perdemos o eixo?
Se vale tudo,nós, provavelmente, pouco valemos.
Se não vale nada, tememos.

Eu defendo o homem forte. A mulher parceira.
A independência financeira.
O auxílio mútuo.
Porque não somos iguais e nunca seremos.

PS: O NYPost publicou uma matéria sugerindo que a vítima seria portadora de HIV. E 57% dos entrevistados por um jornal de Paris acreditam em complô. O pior cego… não é a Justiça.

Cartão de Boas Festas

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O médico monstro saiu da jaula.

O menino perdeu a mãe, ganhou um pai e virou um escândalo.

O cartão de crédito não funciona.

Que venha 2010, queridos!

monkeyfunky

Pega na mentira

segunda-feira, 31 de agosto de 2009
Eu era assim nos anos 80...

Eu era assim nos anos 80...

Hoje comecei a escrever um post super cabeça sobre uma derrapada feia de um CEO de uma mega-blaster-gigante de PR, mas resolvi voltar a boa e velha forma. Vamos largar a maldade contra as mais de lado e vamos falar mal das celebs!

Gente, pelas fotos fica muito claro: Demi Moore fez lobotomia.

Aos 46 disse que nunca fez uma plástica na vida. Na-na-na-na-ni-na!

Ela fez lobotomia. Por isso se casou e teve filhos com a coisa mais inteligente do mercado: Bruce Willis.
O segundo casamento com o garotão do That 70’s show já é efeito colateral da plástica que ela não fez. Esse a gente aprova!
Não faça plástica e leve o Ashton Kutcher para casa. 15 anos mais novo e com o mesmo efeito da sua lobotomia! Dã…
Que sucesso!!!

Eu sempre tive o seio assim!

Eu sempre tive o seio assim!

E a paternidade dos filhos de Michael?
Tirando os anos-luz de terapia que a garotada vai ter que fazer, já virou novela mexicana com direito a remake pelo Walcyr Carrasco. Que Michael era esquisitíssimo, até os melhores amigos dele admitiam. Liz Taylor, Jane Fonda – todo mundo diz que Michael era fora do normal.
Gostava de se vestir de mulher, não era conectado com a realidade. Então discutir a “paternidade” dos filhos dele não deve estar o incomodando muito (lá na Terra do Nunca). Mas Macaulay Culkin? Michael era mesmo uma caixinha de surpresas… Cada dia uma nova reviravolta!
Se eu não perdi todos os capítulos, os primeiros são filhos do médico dermatologista e da enfermeira. O último é filho do Culkin.
Mas especulava-se que o padrinho dos três filhos de Michael Jackson, Mark Lester, seria pai de Paris, a filha única do cantor.

E o Uri Geller? Basta dizer que o fofo, de origem austro-hungara, nascido em Israel (judeu na veia) e que vive na Inglaterra, era melhor amigo de Michael e já fez um documentário contando sobre sua profunda amizade com o astro. O que não se faz para levar algum do defunto.

Ooops, meu umbigo deu uma subida!

Ooops, meu umbigo deu uma subida!

Só falta colocar um banner da Cyrela nos reclames.

E, se bobear, Michael conseguiu doações até para o dr. Roger Abdelmassih. Porque são muitos pais para poucas crianças. Sobrou doador.
Essa foi infame. Foi péssima. Podem atira pedras.

E não, não vamos falar de Belchior nesse post.
Eu particularmente não acho legal o que fizeram com ele. Em nenhum sentido. E essa é séria.

Fui porque estou mais atacada que o Louro José hoje.