Posts com a Tag ‘sorvete’

A conta

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ele saiu com seu velho casaco.
O prazer em sentir o vento que corta tudo o que tenta enfrentá-lo.
Pelas ruas, procurava os poucos minutos de luz do sol.
Louco, chutava o ar, como que mandando o calor embora.
Era o frio de faca que buscava.
Num café que estava na moda, pediu algo frio.
A garçonete sugeriu sorvete.
Ele topou.
Ao lado, um grupo de mulheres cacarejava.
Como grãos de milho, ciscavam histórias de colegas de trabalho, Caras e outras conversas de salão.
Ele segurava o copo de sorvete entre as mãos como que para fazer baixar a temperatura.
As pontas dos dedos ficavam cada vez mais vermelhas enquanto o sorvete derretia.
Pediu a conta.
Pagou.
E saiu correndo a derrubar cadeiras, mesas, empurrar quem atravessasse seu caminho.

O casaco ficou para trás.

30 minutos

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Do que você é capaz?
Fazer salada, massa e sobremesa.
Tomar banho, ir ao banco e ainda chegar cedo para a reunião?
Ir de metrô, ônibus e táxi?
Bicicleta?
Ouvir Marvin Gaye até debaixo d´água?

Enquanto ministros caem por aí, eu mesma tomei um tombinho.
Ando de bota ortopédica para lá e para cá – até que me esqueci da dor e calcei, distraída, uma sapatilha de balé.
Dar uma voltinha no quarteirão e fugir da chuva.
Melhor analgésico não há.

São Paulo com calor fica assim tão diferente.
Parece sorvete de japonês – enclausurado em massa frita.
E eu? Pareço sorvete.

eu pareço

Gratidão e nonsense

domingo, 1 de maio de 2011

Almocinho  hoje com amigas.
Fomos a um lugar que tem espaço para receber crianças.
É que uma tem filho de quase 7 anos.
A outra não quer ter filhos. E ponto.
Aquela está barriguda.
E essa trabalha a sério numa produção independente avançada. Filho de laboratório com pai desconhecido e mãe linda e apaixonada.

Todas com mais de 30, quase 40.
Achei tão bacana. O mundo e suas possibilidades.
Que bom é não ter que ser parte do gado.
E poder fazer tudo errado.
Só para admitir que é humano.
E que vai fazer errado de novo.
(Embora vez ou outra tente acertar)

Caretice essa coisa de ser perfeito.
Magro, rico, com cartão de visita.

Hoje também notei que o “amigo” que recebi em casa, ofereci quarto e comida, paguei almoço, levei para passear…
O amigo me cortou de sua rede social.
Tão divertida a pequenês.
Juro que não é tipo: a vida é muito curtinha para criar tempestade em copo d’água.

Engraçado este domingo.
Acordei e passei o dia achando que tudo anda muito gostoso.
Sorvete de gianduia com direito a repeteco.

Carango

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Hoje foi dia de acelerar nas curvas.
Carro limpinho e chuva.
Carro com ABS ajeitadinho.
Corrida maluca o dia todo.
Discurso na sala de espera.
Pelo fim da espera!
Gracinhas por aí.
Meu nariz vermelho saiu da toca.
Compras loucas para evitar a chatice na viagem.
Calor.
Sorvete.
Sono.
Boa noite.