Posts com a Tag ‘Una’

Um drink e Caras ao vivo

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

egos e rock’n roll

Sabe aquela “famosa” atriz da extinta Malhação que está grávida do namorado que conheceu há seis meses?
Pois é…
Deu a dica de que não queria ser fotografada no hotel.
A recepcionista, baianíssima, olhou de cima a baixo e disse:
– Não se apoquente, aqui só fotografam atrizes da novela das oito…

oxoxoxoxo

Enquanto a italiana desfilava as celulites por aí, sem medo de ser muito feliz, a papisa da modinha nacional soltou entre dentes:
– Deveria comprar um novo biquíni e processar o cirurgião plástico.

(Eu queria entender por que a papisa só anda de batona, cobrindo tudo como se fosse uma rainha da era vitoriana)

oxoxoxoxo

E o casal intercontinental?
A brasileira denuncia aos ingleses descolados:
– A imprensa nacional esconde os horrores das favelas paulistas e só apresenta os problemas cariocas…
Eu pensei com meu roupão de algodão egípcio:
– Bom deve ser sair de noite e desacompanhada na África do Sul…

oxoxoxoxo

Viu como, com sol ou com chuva, eu me divirto?
Acabei de ler a biografia de Keith Richards e ando insPIRADA.
Cada mergulho, um flash!
Um drink.
Uma história.
Algo de rock’n roll.

E adotei a máxima local:
“- Em nome de Jesus!”

Sauna com vodka ou drink de laranja?!

Bangalô

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Correria de fim de ano.
Primeiro, o prazer.
Unha vermelha.
Cabelo esfiapado – quase careca.
Almoço na Figueira – uma ex-vegetariana de 18 anos vai sempre devagar.
Devo dizer que a cachacinha gelada é algo novo que vale à pena ver de novo.
Shopping center.
Reunião.
Casa.
Café.
Sanduíche.
Reunião.

E, de noitinha, planos…
Os emails disparados no cyber espaço viraram ouro.
E surgiram Fernandos de Noronha, Natais, Ilhéus,
Optei pelo meio do nada.
Fazenda da Lagoa.

Diferente da vida inteira, este ano não haverá Natal.
Nem luto.
Nem nada.
Vai ser puro reveillon.
No meio de uma fazenda de cacau.
Com dois rodesian.
E tartaruga,
Alice vai junto.
Passaporte canino carimbado.

Mal vejo a hora de não fazer nada com altíssimo estilo.
E ler Haia, a moça de Tchetchelnik, sem parar.

http://fazendadalagoa.blogspot.com/

Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.
C. L.