Posts com a Tag ‘Vento’

Ouvidos

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Para não ter que ouvir nada, nada, nada.
Pernas para correr.
Para virar esquinas.
Pulmões para não gritar.
Boca para aspirar todo o ar.

Mar, oceano, chuva.

Ressaca.
Sem álcool.
Cem noites.

Vento…

zen zun água

 

Vira vira

segunda-feira, 12 de março de 2012

shhhhhhh...

Shhhhhhhhhhhhhhh!

Eis que tudo pronto, papelada com firma reconhecida e…
Comprador, vendedor, corretor, banco – todos ávidos por trocar assinaturas e…
uma viagem fez com que tudo voasse.

Vento cigano.

Nada a ver com Manos, Ronaldos e Ricardos.
Coisa de gente normal.

Ser e não saber.
Pular de olhos fechados…

Aproveitar tudo o que é possível.

Como é bom (e perigoso) não ter amarras.

A conta

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ele saiu com seu velho casaco.
O prazer em sentir o vento que corta tudo o que tenta enfrentá-lo.
Pelas ruas, procurava os poucos minutos de luz do sol.
Louco, chutava o ar, como que mandando o calor embora.
Era o frio de faca que buscava.
Num café que estava na moda, pediu algo frio.
A garçonete sugeriu sorvete.
Ele topou.
Ao lado, um grupo de mulheres cacarejava.
Como grãos de milho, ciscavam histórias de colegas de trabalho, Caras e outras conversas de salão.
Ele segurava o copo de sorvete entre as mãos como que para fazer baixar a temperatura.
As pontas dos dedos ficavam cada vez mais vermelhas enquanto o sorvete derretia.
Pediu a conta.
Pagou.
E saiu correndo a derrubar cadeiras, mesas, empurrar quem atravessasse seu caminho.

O casaco ficou para trás.

Luz e fúria

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

cereja

Virada do mês.
Os orientais dizem que a primavera é estação de tensões, agressividade e falta de paciência.

“Madeira – a fase inicial – a Primavera: o Yang dentro do Yin.”

A Primavera é o início de um ciclo, o momento do aparecimento do Yang dentro do Yin – ou seja, o Yin do Inverno começa a diminuir e o Yang a aumentar.
O frio começa a diminuir e os dias ficam maiores.
Agora, pura transição antes da estacão literalmente florescer, é momento de calor, frio, chuva, sol – confusão de estações.
Segundo dizem, este é o período mais dinâmico do ano em que tudo se renova e se exterioriza. Corresponde ao “este” (ao nascer do sol) e está associado ao vigor, à juventude, ao crescimento e ao desenvolvimento.
Esta é a fase expansiva, explosiva, criadora, despertando na natureza o desejo sexual de procriar.
E é também o momento de violência, de pavio curto, de confusão.
A cor verde predomina, o céu está mais azul, e, como o vento, tudo se agita.

Fique de olho no fígado, dome seu stress, segure seu ego.
Take care.
O momento pede.

Pés cansados

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Vento que leva sacola de supermercado cheia de frutas…
Uma infusão de flores e folhas.
Tiro sapato, meia e saco meu creme de pé.
Massagem nos pés, água com gosto de hortelã e hibiscus.
Ninguém se incomoda com meu strip necessário.

Saí com meia fina, macaquinho de ginástica, camisa, vestido, casaco de couro, trench coat, luva, cachecol e chapéu.
Tremi de frio.

Carlos Saura me aqueceu com seu flamenco fora do padrão.

Dispensei o drink pós-espetáculo.
Cama quente e um domingo inteiro para viver…