Posts com a Tag ‘Woody Allen’

Produção em andamento

terça-feira, 26 de outubro de 2010
Voltando com a fantasia

Roupas de Patricia Field e um momento Lego

Caminhando por aí…

Café Mogador – eu e Woody Allen gostamos.

NoHo, SoHo, Bowery, St.Mark, Chelsea, Meatpacking…

Montei minha produção de Halloween!
Adoro um carnaval…
Dessa vez, a cabeleira nova inspirou a fantasia.

Um dia batendo perna, comendo quando dá fome, revendo lugares de que gosto.
Sacando gente nova fantasiada para virar grande.
Sacando gente velha que vive em outro ritmo.

As idéias não estão no lugar, mas a cabeça está ótima.

Hoje quero ir ao MoMA.
Aquela Hello Kitty gigante já me chamou outra vez e eu não dei bola…
Agora é a hora.

(Desconfio que, lá no fundo, ela seja uma Hello Kitsch)

Extrañamiento

quinta-feira, 12 de agosto de 2010
Extrañamiento s. m. Destierro de una persona a un país extranjerom. Acción y efecto de extrañar o extrañarse.

Momento pós trombada...

Pois é…
A chuva passou, o sol fritou um ovo no asfalto, eu troquei de roupa e fui gastar meu tempo.
Ataulfo Alves que o diga: vestir uma camisa listada (original sem “r”) e sair por aí é bem coisa de parisiense.
A marselhesa é um hit…
E a caminhada a esmo também.

Encomenda para amiga.
Amiga que lê o blog e sabe que eu faço de bom grado (mas reclamo).
E olha que o perfume é especial.
Annick Goutal. Que delícia tomar um banho e colocar duas gotinhas.

Saí do metrô e vagabundeei.
Para lá e para cá vendo palácios, estátuas, navegando na idéia de república.
Faltavam duas horas para encontrar uma tchurma e decidi pegar o caminho mais longo.
Passeando pela Place Vendôme, logo botei a cabeça para viajar.
O que é ter grana para ficar no Ritz e encher a sacola de feira com Chanel, Comme des Garçons, Patek Phillippe?
Como sempre, turistas e mais turistas tirando fotos.
Desviei de um grupo.
Calçada liberada e eu fui com passos fortes.
Do outro lado da rua, uma pequena aglomeração.
POW!
Um baixote me deu uma cabeçada.
Ao lado dele uma loura dessas de Pigalle. Atrás, uma câmera, 200 assistentes, quem sabe a Carla Bruni.
Desculpa dali, desculpa daqui. Pensei: “tô arrasando Paris em chamas”.

O fim de uma era

Mentira: saquei na hora o encontro histórico.
Era o Woody Allen!
Na curva, saquei meu telefone e tirei a foto. Ninguém iria acreditar que trombei no judeuzinho que fez tantos filmaços.
Risos e mais risos.

Depois dessa, chutei o pau. Entrei na Hermés e fiz umas compritchas de mil euros.
Eu tenho certeza de que isso é uma manifestação do meu inconsciente que quer voltar logo para casa.
Afinal, tenho que trabalhar para pagar essa conta!

Agora, estou me preparando para dar uma passada na grande Mesquita de Paris.
Além de ter um chá famoso, o Hammam me foi recomendado por duas pessoas.
Fazer uma sauninha, tomar um chá de hortelã…
Vamos ver no que vai dar.

A girafa yoísta

domingo, 22 de novembro de 2009

girafitaSair por aí na chuva… Só para mostrar o que está acontecendo do lado de cá.

Minha vizinha. Decidi tirar uma foto com ela. Na chuva, ninguém pára para olhar você tirando foto com uma girafa. (a não ser quem tira a foto)

Tentei assistir a uma produção cinematográfica local. Cancelaram e não avisaram… Tomei chuva e nada.

Fui conhecer a livraria Gandhi. Não sei quantas vezes passei em frente e nunca entrei. Bacana. 3 CDs de jazz de gente da terra.

Comprei caramelos da Lion d’Or. Devorei uma caixa (e paguei mico mais tarde…)

Chuva, chuva quente.

Tudo a ver com empanadas quentinhas.

Táxi, direto para a Recoleta.

2 empanadas Sanjuanino. El patrón (que pena) não estava. 1 Quilmes gelada. Eu queria clericó. Eles não fazem E quando vi fazerem a sangria com Crush de laranja… Aaaaarght! O excesso de brasileiros não me incomoda. Um ex-colega de Cuba entra. Fiquei escondida. Cabeça baixa. Não gosto de surpresas. Não quero falar de amenidades. O que você tem feito nos últimos 8 anos?

Um pedaço de tamales. Prefiro empanada de humitas.

De lá, caminhada até o shopping mais próximo. E, claro, não passavam um filme que me interessasse.

Táxi de novo. De volta para a Corrientes.

16H40 – Cine Premier. Um pulgueiro decadente. Uma tela pequena no terceiro andar. Um calor de matar baratas.

“Los Abrazos Rotos” de Almodóvar.

Pimenta com chimichurri

Pimenta com chimichurri

Deu um caldo. Saí inspirada. O gay, filho de pai rico e dominador. O diretor cego.

Eu gosto de Truffaut. Gosto muito de Costa-Gravas. Fellini. De Sica. Tomás Gutiérrez Alea. Woody Allen me surpreende de tempos em tempos – mas, vendo o conjunto da obra, ele é repetitivo demais e perdeu aquela graça boba. Não critica judeus, tem um quê que falta. O fato é que, desde que tropecei no espanhol em Nova York, e ouvi seu discurso de viva-voz, Costa-Gravas ganhou um rival. PEDRO ALMODÓVAR.

Inteligente, louco, desassossegado, radical, violento. Pronto. Outra alma gêmea. Sem papas-na-língua. E sem modéstia. Se eu tivesse a cara de Almodóvar, talvez desse “certo” na vida. E o que ele diz sobre blogs?

EGOTRÍPTICO

Estamos en plena efervescencia de la literatura del Yo (Por supuesto estoy a favor, también estoy a favor de los libros inclasificables y de la demanda del Juez Garzón de hacer listas de todos los “vencidos” en la guerra, y de abrir todas las cunetas y paredones que haya que abrir para que sus familias puedan enterrarles como es debido).

No tengo más alternativa que la de estar a favor de la literatura del yo, no hay nada más “yoista” que la escritura de un blog. También es cierto que al ser esa su naturaleza, nadie te puede tachar de egotríptico.

http://www.pedroalmodovar.es/PAB_ES_09_T.asp

E entrei numa livraria dos sonhos. ZIVALS. Fica na av. Callao 395, esquina com Corrientes. Pirei completamente. Depois de horas e horas de puro deleite, levei a poesia completa de Arthut Rimbaud – edição bilíngue (tá certo, não resisti). Levei também Diários de Andy Warhol, edição de Pat Hackett. E um dicionários de gestual argentino. E outras bobagens. Deixei Verlaine me esperando para uma próxima.
E fui para o tal restaurante de comida molecular (que eles chamam de “techno-emocional”).
Drinque de entrada, comidas malucas (mas bem servidas), vinho… E claro – somados à caixa de Lion d’Or + empanadas… Deixei o tango para hoje… E dormi com a barriga estufada por conta do material abaixo… Aiiiiiii!