Pressões e descompressões

Sexta-feira sempre tem um quê de alegria, de fim de dia, de chopp gelado – mesmo que tudo dê errado.
Sexta-feira, prato feito e frio porque estou sempre atrasada.
Ainda não vi a cor do álcool nem senti o vapor subir.
Mas é sexta e tudo pode – mesmo que não dê em nada.
Sexta, dia em que tudo é palusível, aceitável, razoável, dia mais distante da segunda do que a própria terça-feira.
Sexta.
Porque tudo pode acabar amanhã.

coelho branco

3 respostas para “Pressões e descompressões”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *