Qualquer

Filtro em demasia

Ana Uma
Pessoa Fernando
Qualquer
Estrela
Ego
EU
Meu
ID
Nua
Pura
A imagem não é o que te ofereço
Nunca
Dos sertões de Guimarães trouxe meus buritis
É preciso molhar os pés e afogar
Enquanto eu sairei seca
Alterada
Transtornada
Preservada em álcool
Com fios brancos que te darão inveja
Sem cicatriz alguma
Queloides
Diferente de vocês, eu não venho de misturas
Sou terra
Pura
E não finco raiz
Uma alguma e nenhuma
De todos
E de qualquer alguém
Dentro do vendaval
Eu sei dançar
Ando com medo das facas que comprei
Sao japonesas, afiadas, leves
Talvez essa leveza seja o que me falta
O que abra o meu portal
E eu desapareça de vez.
Talvez.
Alô?
Uma pessoa?
Sim e não.
Ana Pessoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *