Rich people’s problems

Uma semana a mais nessa enorme síndrome de Estocolmo.
A mão invisível não perde oportunidade de cobrar a conta…
Quem sai, não entra.
A moda é passar uns dias num hotel, distante, 7, 8 km da sua própria casa e marcando hora para frequentar piscina.
Crianças, mimadas, deixam um rastro de garrafas de aço inoxidável 18/8 pro-grade – antes eram pedras pintadas.

O calor não ajuda…

Sigamos.

Gaiola

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *