Raiz

Eita que segunda-feira é dia de desatar nós.
Choveu logo cedo.
E o mundo acordou de mansinho.

Concentrar no que é urgente.
O tempo voa, mas o mistério é saber que tudo (ainda) é.

Procuro alguém que queira me reensinar ashtanga.
A tarefa é para ser desenrolada sem pressa.
Começa com a mão que não encosta no pé.
E avança quando sua cabeça perde o controle.

Mexendo em meus arquivos, uma série de autoretratos.
E uma frase.

The foot feels the foot when it feels the ground.
Buddha


E aí brotou do nada, como que para provar que certas coisas não vão embora:

Vande gurunam charanaravinde sandarshita svatma sukhava bodhe
Nih shreyase jangalikayamane samsara halahala mohasantyai
Abahu purusharakam sankhachakrasi dharinam
Sahasra shirsam svetam pranamami patanjalim

Um dia de cada vez

Foto criada em 2009-10-13 às 07.56 #2

Depois de acelerar nos últimos dias (em todos os campos) e passar essa noite quase sem dormir (2h e só), achei um espaço no quarto, e relembrei (como?) dos meus exercícios de yoga…

Pranayama. “Prana” é respiração ou energia vital do corpo. “Ayama” significa controle. Naturalmente fui seguindo o fluxo da minha esquecida ashtanga vinyasa.

Os asanas foram surgindo não sei de onde e eu fui sentindo aqueles pontos que andam bem tensos, os que andam esquecidos. Estalos. O corpo duro; em alguns momentos, fraco.
Cheguei ao Supta Kurmasana (deitado, você cruza as pernas atrás do pescoço e levanta o corpo com os braços – as pernas entrelaçadas atrás da orelha)… Fiz as posições finais. Não me lembrei do mantra de agradecimento, só do ritmo da música.
Estou pingando feito um rio. O corpo super relaxado.

Tanta coisa em tão pouco tempo. Fiquei confusa. Precisava respirar e não tentar entender.

Samadhi (redenção, libertação de perigo, salvação da alma, segurança) – é um super estado de felicidade, alegria e fusão da consciência individual com a consciência universal. União entre Jivatman e Paramatman. União de Shiva e Shakti em Sahasrar Chakra (parte superior da cabeça). Percebendo a Bramhan (consciência pura).

Poucos chegam lá.
Preciso voltar a fazer yoga.
E dar um tempo em muitas coisas.
Começo “tudo” de NOVO hoje.
Mas nada NOVO.