Um homem chamado John Galliano


John sendo atacado por Eva Green

John sendo atacado por Eva Green

Bonito, charmoso, gay.

 

Para mim, John Galliano é um dos caras mais bonitos do século. 

Com um corpo poderoso, a cara e o bigode de pirata, ele é tudo e ainda é inglês.

Nada a ver com a bruxa má, Karl Lagerfeld. Uma coisa alemã sadomasô que adora bolsinha de corrente para peruetes sem estilo.

De John, eu tenho apenas uma bolsa de edição limitada em forma de sela de cavalo feita  em homenagem aos gaúchos argentinos. 

Filho de mãe espanhola e de pai nascido na península britânica de Gibraltar, o inglês genial que assina a haute couture da Dior passou os seis primeiros anos de sua infância no colorido Mediterrâneo.

Em 1966, ele e a família se mudaram para Londres. Aluno mediano, John estudou na poderosa Central Saint Martins, onde suas criações já estrearam causando impacto. A coleção de formatura, inspirada na Revolução Francesa e intitulada Les Incroyables, acabou indo parar nas vitrines da loja super trendy Browns. 

Um ano depois de formado, em 1984, John criou sua própria grife.Temas românticos e delicados e alfaiataria de primeira já eram sua marca. Em 1987, ganhou o prêmio de Estilista Britânico do ano, mas a grife não ia bem e acabou falindo.

Em 1990, Galliano se mandou para Paris. E foi acolhido pelo mundo da moda. Kate Moss trabalhou para ele de graça.

Em 1995, tornou-se o primeiro inglês a dirigir uma maison francesa: a Givenchy. A mistura de temas latinos, românticos, idéias do passado em cortes contemporâneos e poderosos era nova, incrível, infalível. Ao entrar para a Dior, John virou uma lenda da moda.

John em fotos: http://tinyurl.com/5w82cs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *